Diocese do Algarve criou site e vai lançar brochuras de promoção turística

Um site de divulgação turística, brochuras informativas sobre os pontos altos de cada uma das quatro vigararias do Algarve, a […]

Um site de divulgação turística, brochuras informativas sobre os pontos altos de cada uma das quatro vigararias do Algarve, a lançar ainda em 2012 e a criação de percursos temáticos até 2014 são os eixos do projeto do Setor da Pastoral do Turismo da Diocese do Algarve, apresentado oficialmente na passada sexta-feira.

Apesar do plano apresentado ter uma duração de dois anos, este «é um projeto de continuidade», que permitirá dar mais visibilidade ao património da igreja e ligá-lo à principal indústria da região algarvia, o Turismo.

O site Turismo da Diocese do Algarve já está disponível no endereço turismo.diocese-algarve.pt. Aqui, além de informação sobre os muitos eventos religiosos que têm lugar na região, como as festas e procissões, há informação detalhada sobre cada uma das paróquias.

Uma valência do site é informar os visitantes sobre quais as igrejas que têm serviços religiosos em língua estrangeira e horários das celebrações. Ao mesmo tempo, permite que quem não fala o português «descarregue as leituras das celebrações que irão ter lugar em várias línguas», em formato PDF, segundo Sandra Moreira, responsável pela comunicação e marketing da equipa. Também serão divulgados os horários de visitas, nos casos em que as igrejas sejam visitáveis.

O site arranca com a informação sobre as paróquias que estava documentada e acessível à equipa da Pastoral de Turismo, mas Sandra Moreira instou os habitantes de cada localidade a dar o seu contributo, para completar eventuais lapsos.

Este sítio na Internet é a base para um projeto mais vasto, que continuará com brochuras informativas sobre eventos e património, a distribuir nas igrejas.

Ao todo, serão produzidos quatro documentos, um por cada vigararia (Portimão, Loulé, Faro e Tavira), mas que incluirão informação de cada paróquia. Também o site se organiza da mesma forma, com «quatro grandes canais, correspondentes às vigararias, subdivididos em paróquias».

Estas brochuras «vão ser apresentadas ainda no decorrer deste ano», anunciou Luís Santos, o membro da equipa a quem coube a tarefa de apresentar o projeto.

Até 2014, serão estruturados três itinerários baseados em diferentes manifestações religiosas, que servirão como cartaz turístico para a região.

O primeiro, será o «Itinerário da Paixão e Triunfo», que vai concentrar a informação sobre todas as festas e manifestações associadas à Pascoa. Algumas delas são bem emblemáticas, como os Passos do Senhor e as procissões das Flores e das Tochas Floridas.

Outro circuito a criar será o «Itinerário mariano», onde cabem todas as festas em honra de Santa Maria. Festas como a Mãe Soberana ou o culto à Nossa Senhora dos Navegantes são exemplos d efestas que serão aqui agregadas.

Será ainda criado o «Itinerário da Fé da Terra e do Mar», onde caberão todas as outras festas ligadas «às gentes da terra e do mar algarvias».

Apesar de ser, a partir de agora, um órgão oficial da diocese, a equipa que o compõe é multifacetada e, na sua esmagadora maioria, composta por leigos. O coordenador da equipa Padre Miguel Neto é o único religioso, mas não recusou protagonismos, na apresentação do projeto.

Miguel Neto recusa ser visto como «a cabeça» da equipa, mas sim apenas como mais um dos seus elementos, todos em igualdade. «Este projeto é feito exclusivamente com trabalho voluntário», frisou. Da equipa fazem parte pessoas que trabalham na área do turismo, como hotéis e agências de viagens, e em entidades públicas.

O coordenador da equipa adiantou que este projeto surge após um convite feito pelo Bispo do Algarve. «Já havia algo semelhante na vigararia de Loulé, pelo que aproveitámos a experiência já existente e a alargámos ao Algarve», revelou.

Para o Padre Miguel Neto, o lançamento de um projeto da Diocese no setor do turismo «não só é fundamental, como peca por tardio». A ideia «é contribuir para a atratividade da região», ao mesmo tempo que se dá a conhecer a história e património religioso a crentes e não crentes, com benefícios para a população de acolhimento.

Comentários

pub