Protocolo entre Câmara e Agrupamento de Defesa Sanitária de Alcoutim salvaguarda postos de trabalho em risco

O Agrupamento de Defesa Sanitária (ADS) de Alcoutim “encontra-se numa situação extremamente melindrosa”. É assim que o seu presidente, o […]

O Agrupamento de Defesa Sanitária (ADS) de Alcoutim “encontra-se numa situação extremamente melindrosa”. É assim que o seu presidente, o médico veterinário Paulo Pina, descreve a situação provocada pela incapacidade financeira da Direção-Geral de Veterinária em cumprir com o protocolado para 2011 e para o futuro. 

O ADS de Alcoutim foi criado há 23 anos com o objetivo de prevenir e combater doenças que possam ser transmitidas dos animais para as pessoas e doenças dos animais que prejudiquem a rentabilidade económica de uma exploração pecuária.

Para garantir o cumprimento dos objetivos referidos, foi criada uma infraestrutura na aldeia de Giões, com equipamento adequado, e foram reunidos oito colaboradores, que não recebem vencimento há 10 meses.

Perante a gravidade da situação social, provocado pelo incumprimento dos compromissos governamentais em termos de financiamento, a Câmara Municipal de Alcoutim transferiu, através de um protocolo aprovado hoje em reunião de câmara, 15.000 euros para a instituição.

A ADS de Alcoutim compromete-se a cumprir com as suas funções ligadas à Saúde Pública no concelho de Alcoutim.

A Câmara salienta que a sua intervenção “era imprescindível”, uma vez que, segundo o presidente da ADS de Alcoutim, a “conjuntura económica de recessão com uma crise instalada e uma descapitalização de todo o setor primário” tornam difícil, senão impossível, “o aumento da comparticipação dos associados nos custos de funcionamento da ADS”.

Comentários

pub
pub