Orquestra do Algarve sobe ao palco do Cine-Teatro Louletano para Concerto de Ano Novo

A 1 de janeiro, pelas 17h00, o Cine-Teatro Louletano recebe o tradicional Concerto de Ano Novo da Orquestra do Algarve. […]

A 1 de janeiro, pelas 17h00, o Cine-Teatro Louletano recebe o tradicional Concerto de Ano Novo da Orquestra do Algarve.

O espetáculo vai ser dirigido pelo Maestro Pedro Neves e terá como solista a soprano Sónia Grané.

Neste momento musical serão interpretados peças dos compositores Pedro António Avondano (1714-1782), Georg Friedrich Handel (1685-1759), W.A. Mozart (1756-1791), Gioacchino Rossini (1792-1868), Gaetano Donizetti (1797-1848), Richard Strauss (1864-1949), Johann Strauss (1825 – 1899) e Anne Victorino d’Almeida (1978), esta última numa estreia.

O preço dos bilhetes é de 10 euros.

 

O Maestro

A personalidade artística de Pedro Neves é marcada pela profundidade, coerência e seriedade da sua interpretação musical, destacando-se assim como promissor maestro português.

O seu percurso musical inicia-se no conservatório da cidade de Aveiro, onde estudou violoncelo com a Prof. Isabel Boiça. Mais tarde ingressa na Academia Nacional Superior de Orquestra, em Lisboa, na classe do Prof. Paulo Gaio Lima, onde conclui o grau de bacharelato em 1996.

No mesmo ano obtém uma bolsa de estudos da Fundação Calouste Gulbenkian para continuar o seu aperfeiçoamento artístico com o Prof. Marçal Cervera, na Escola de Música Juan Pedro Carrero, em Barcelona, onde se mantém até 1999. Paralelamente frequenta masterclasses com Maria de Macedo, Paulo Gaio Lima, Daniel Grosgurin, Marçal Cervera e Anner Bylsma.

Como violoncelista participou em diversas formações das quais se destacam a Orquestra Portuguesa da Juventude, Orquestra de Jovens do Mediterrâneo, Orquestra de Jovens de Baden-Wuttenburg. Entre 1999 e 2005 integrou a Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Apresentou-se em várias digressões em Espanha, França, Alemanha, Brasil, EUA, Japão, Macau, Tailândia, entre outras.

Foi premiado nos concursos “Juventude Musical Portuguesa” e “Prémio de Jovens Músicos”.

Pedro Neves interessa-se muito cedo pela direção e começa o seu percurso como maestro em 1988 na Sociedade Recreativa e Musical 12 de Abril, sediada na sua terra natal, da qual é diretor artístico desde 1992.

Paralelamente à sua atividade como violoncelista, estudou direção de orquestra com o reconhecido pedagogo e maestro Jean Marc Burfin na Academia Nacional Superior de Orquestra, onde obtém o grau de licenciatura com elevada classificação.

Em virtude do seu crescente desejo de se aperfeiçoar como maestro, Pedro Neves aprofundou os seus conhecimentos com Emílio Pomarico em Milão, frequentou masterclasses com Alexander Polishcuk e foi assistente de Michael Zilm.

Pedro Neves foi convidado para dirigir a Orquestra Metropolitana de Lisboa, a Orquestra Nacional do Tejo, a Filarmonia das Beiras, a Orquestra de Câmara Portuguesa, a Orquestra do Algarve, a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Sinfónica Portuguesa e a Orquestra Esproarte, da qual foi maestro titular de 2004 a 2008.

Pedro Neves é professor na Academia Nacional Superior de Orquestra e maestro titular da Orquestra Clássica de Espinho, onde desenvolve um projeto com jovens músicos em início de carreira profissional. Atualmente é doutorando na Universidade de Évora onde realiza um doutoramento sobre as seis sinfonias de Joly Braga Santos.

Em Abril de 2011 assumiu o cargo de maestro titular da Orquestra do Algarve.

É fundador da camerata Alma Mater.

 

A Solista Sónia Grané

 

Sónia Grané estudou na EMCN com Manuela de Sá e José Manuel Brandão. Atualmente estuda com Lillian Watson e Jonathan Papp na Royal Academy of Music onde terminou recentemente o mestrado em performance com alta distinção e onde está a fazer uma especialização em ópera.

Sónia atua regularmente em Portugal, França e Reino Unido não só em recitais mas também em ópera. Já interpretou Dido Dido and Aeneas (TNSC); Papagena, 1ª Dama e 1º Rapaz Die Zauberflöte (TNSC); Cis e Harry (cover) Albert Herring (Royal Academy of Music); Despina Così fan tutte (Verbier Festival) e Lucia The Rape of Lucretia (BYO).

Durante o último ano letivo foi uma das semi-finalistas no grande concurso Kathleen Ferrier, vencedora de diversos concursos na RAM e do 1º prémio do Concurso de Lieder de Oxford.

Recentemente foi vencedora do 1º Prémio da 5ª edição do Concurso de Canto Lírico da Fundação Rotária Portuguesa.

Os seus projetos futuros incluem os papéis de Pamina Die Zauberflöte, Sophie Der Rosenkavalier e cover de Ninetta La Périchole, diversos concertos a solo no Reino Unido, incluindo em St.John’s Smith Square, St. Martin-in-the-Fields e King’s Place.

É apoiada por diversas instituições no Reino Unido e pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Comentários

pub