Miguel Freitas saudou continuidade de programa alimentar da União Europeia

O deputado socialista Miguel Freitas saudou esta segunda-feira a aprovação da continuidade do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados […]

O deputado socialista Miguel Freitas saudou esta segunda-feira a aprovação da continuidade do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados (ACAAC), dada a importância do «apoio alimentar às cerca de 40 mil pessoas que beneficiam anualmente deste programa em Portugal», revelou o PS/Algarve, num comunicado.

«Este programa é fundamental para o Algarve, sobretudo numa altura em que se assiste a um agravamento da situação social, permitindo dar continuidade a esta ajuda, a qual, só na nossa região, beneficia anualmente cerca de 12 100 pessoas», disse o deputado socialista eleito pelo Algarve.

Miguel Freitas foi o «relator na Assembleia da República desta iniciativa europeia, cujo relatório foi aprovado por unanimidade, na passada terça-feira pelo Parlamento», revelou o PS/Algarve.

Entretanto, o deputado do PS veio à região e visitou a associação ACASO, em Olhão, uma das instituições que gere alimentos vindos do programa da União Europeia, para se aperceber da situação no terreno. E o cenário é bastante negro, como o sul Informação, que acompanhou esta visita, deu ontem conta.

«Apesar do desbloqueamento do Programa Comunitário no Conselho de Ministros de hoje, que recupera o orçamento de 40 milhões anuais destinados à ajuda alimentar em Portugal, Miguel Freitas, realça no entanto a necessidade de o País encontrar agora uma resposta nacional, que permita complementar esta ajuda comunitária», adiantaram os socialistas algarvios.

Além desta luta, Miguel Freitas assumiu ontem na visita à ACASO que irá colocar na ordem do dia a instituição de uma ajuda alimentar específica para bebés, já que segundo os responsáveis pela associação olhanense, os cabazes tradicionais, como os que são fornecidos pelo Banco Alimentar Contra a Fome, trazem muitos poucos alimentos adequados a crianças dos 0 aos 3 anos.

Comentários

pub
pub