Ciência: No Outono, caem as folhas…

Com a diminuição do período diurno, a descida da temperatura e aumento de humidade, observamos a queda das primeiras folhas, […]

Com a diminuição do período diurno, a descida da temperatura e aumento de humidade, observamos a queda das primeiras folhas, sabemos que o equinócio do Outono está a chegar.

O que são equinócios?

A palavra equinócio deriva do latim (aequinoctiu = noite igual; aequale = igual + nocte = noite). Indica o instante em que, ao meio-dia, numa localidade na linha do Equador, há um ponto onde os raios solares têm uma incidência perpendicular à sua tangente. Nesta altura ambos os hemisférios são iluminados igualmente, o que significa que o período diurno e noturno tem a mesma duração. No dia 23 de Setembro teremos oportunidade de assistirmos a este fenómeno.

Mas porque é nesta altura do ano que caem as folhas?

Tal como muitos animais hibernam em períodos de frio para assegurar a sua sobrevivência em períodos que têm menos alimento disponível e condições climáticas extremas, também as plantas terrestres (inferiores e superiores) têm os seus mecanismos, que asseguram a biodiversidade de flora que o Homem tem disponível.

Com a diminuição de luminosidade as folhas caem e as plantas entram num período de dormência, que finaliza mais um ciclo. Este é um mecanismo de defesa e poupança de energia para na Primavera, quando todas as condições ideias estão reunidas, sermos presenteados com o espetáculo que todos apreciamos, o brotar dos primeiros rebentos e o desabrochar das primeiras flores, formando tapetes de cor indescritíveis e de uma beleza inigualável.

Porque é que só algumas plantas perdem as folhas?

As plantas que perdem as folhas, denominadas plantas de folha caduca, como o carvalho, o plátano, a macieira, a videira, etc., fazem-no deliberadamente para se proteger do frio e da neve de inverno e de períodos com menos luminosidade. Desta forma as folhas não ficam queimadas, a distribuição da água e nutrientes necessários não fica comprometida.

O pinheiro e o abeto são exemplos de plantas que não perdem as suas folhas, denominam-se perenes ou plantas de folha perene.

Como é determinada a queda das folhas?

A perda das folhas é gradual, nenhuma planta perde todas as folhas ao mesmo tempo, funciona quase como uma torneira que se vai fechando e deixa sair cada vez menos água até parar completamente. Forma-se um tecido cicatricial (uma cicatriz) que interrompe gradualmente a passagem de água e nutrientes minerais do caule para a folha, o pecíolo (“pé da folha”) começa a secar e com a ajuda do vento, ou apenas da força da gravidade, a bainha (base do pecíolo) solta-se do ramo e a folha cai.

Porque é que as folhas vão apresentando cores diferentes antes de cair?

As cores das folhas e flores das plantas são determinadas por substâncias (os pigmentos) presentes na sua composição bioquímica, que absorvem determinadas faixas da luz visível e refletem a restante. O colorido que vemos é a luz refletida, que apresenta uma coloração complementar à absorvida pela planta.

Para captar luz, as plantas possuem um pigmento de cor verde chamado clorofila, armazenado em cloroplastos e presente em maior quantidade nas folhas. Quando este pigmento deixa de estar presente, observamos outros pigmentos “escondidos” atrás do verde (amarelo, laranja, vermelho) que nos permitem observar a diversidade de cores das folhas antes de caírem.

No Outono, caem as folhas e prepara-se a chegada da Primavera com uma energia renovada.

 

Texto de: Margarida Vieira

Bióloga

Ciência na Imprensa Regional – Ciência Viva

Comentários

pub
pub