Mosteiro de São Bento de Cástris recebe Residência Cisterciense

Residência decorre nos dias 21 e 22 de Setembro

O prazo para as inscrições na VI Residência Cisterciense que se realiza no Mosteiro de São Bento de Cástris, em Évora, está a decorrer até ao próximo dia 17 de Setembro.

Em 2018, Ano Europeu do Património Cultural, esta edição, que decorre nos dias 21 e 22 de Setembro, inspira-se na chamada de atenção para o Património, ao qual estas residências têm estado particularmente associadas, elegendo como tema as «Dimensões do património monástico-conventual».

Através do debate e do convívio entre especialistas de diversas áreas – nomeadamente Arquitetura, História e Música – e um público habitualmente participativo, estas Residências Cistercienses procuram promover a ligação com a Cidade, o Património e a sua conservação e salvaguarda.

A sexta edição procurará sublinhar os tópicos que têm vindo a orientar a realização da iniciativa: o usufruto do espírito do lugar, a reflexão sobre o património monástico-conventual; o cruzamento de experiências; a divulgação de resultados de investigação e mediação, a abertura de novas perspetivas de investigação nascidas no diálogo propiciado pelos momentos de bem-estar da Residência.

A Residência Cisterciense proposta para o mosteiro de S. Bento de Cástris «tem como objetivo primacial reinventar na contemporaneidade a densidade histórica do discurso cisterciense, integrando a geografia do mosteiro eborense numa mais ampla geografia da Ordem de Cister», explica a organização.

Inspirada nas questões da História, da Arte, do Património e da Paisagem cistercienses, a Residência, «regida pelo ritmo do quotidiano da Regra beneditina, apostará na vivência dos espaços do mosteiro e no debate de questões atuais ligadas aos espaços monásticos e ao seu futuro, apostando-se no carácter original da iniciativa».

Mais informações e inscrições através da página http://residenciacisterciense.weebly.com/ ou do telefone 266706581 (Carla Malheiro – CIDEHUS – UÉ).

A organização encontra-se a cargo da Direção Regional de Cultura do Alentejo, do CIDEHUS – Centro Interdisciplinar de História, Culturas e Sociedades da Universidade de Évora e da FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Comentários

pub
pub