Jackson está focado a «100%» no Portimonense e adeptos já pedem «muitos golos»

Jogador de 31 anos, que foi o melhor marcador da I Liga três anos consecutivos, está emprestado ao Portimonense até ao final da época

Promete «máximo compromisso» e disse ter o foco a «100% no Portimonense». Jackson Martínez, o goleador colombiano, está com vontade de jogar» e foi apresentado esta quarta-feira, 12 de Setembro, como reforço da equipa algarvia. Nas bancadas, os adeptos pediram «muitos golos» ao antigo jogador de Atlético de Madrid e FC Porto. 

O internacional da seleção da Colômbia foi uma das grandes surpresas deste defeso, sendo um reforço sonante para o Portimonense. Por isso, não foi de estranhar que Jackson tivesse sido recebido como uma verdadeira estrela, ontem, na apresentação aos sócios.

O jogador subiu ao relvado, vestido à Portimonense, deu uns toques na bola e até assinou camisolas de adeptos com o seu nome.

«Sinto-me muito contente por ter esta oportunidade. Tenho vontade de voltar a jogar e estou-me a preparar tanto física, como mentalmente», disse o goleador.

Desde 2016 que Jackson não compete, devido a uma lesão no tornozelo, algo que pode afetar o rendimento do jogador.

«Só dentro de campo saberei como estarei fisicamente. Treinar é uma coisa, jogar é outra e o ritmo é completamente diferente. A minha mente está focada em, dia a dia, ver como me estou a sentir e, quando o treinador achar que estou pronto para jogar, vou entrar em campo para dar o meu melhor», explicou Jackson.

Na bancada, Érica Canelas mostrava-se alheia à condição física da nova estrela do Portimonense e só tinha um pedido a fazer: golos. «Espero que venha para marcar muitos e que consigamos ter mais pontos para não descermos de divisão», disse ao Sul Informação. 

A jovem adepta algarvia ainda se lembra da passagem de Jackson pelo FC Porto, durante a qual, em três anos, o atleta marcou 92 golos em 132 jogos. «Espero que aqui faça o mesmo porque é bom jogador», pediu, ainda, Érica.

António Folha, treinador do Portimonense, também fez questão de realçar a qualidade do novo reforço da sua equipa. «Dispensa apresentações: não é um jogador qualquer. Queremos dar condições para que volte a fazer o que de melhor sabe», referiu o técnico.

Quanto à condição física de Jackson, Folha disse que «vamos avaliar como está e, progressivamente, vamos vendo como pode ser utilizado, se 90, 60 ou 30 minutos, dependendo da condição física e de como se sentir depois desta longa paragem».

E como prova do mediatismo da contratação de Cha Cha Cha (alcunha de Jackson), nas bancadas do Estádio do Portimonense até estiveram adeptos… do Sporting. Ou, melhor, pelo menos um.

Marcelo Abreu nasceu em Portimão, mas é pelo clube de Alvalade que sofre. Aproveitando umas férias na cidade natal, quis ir ver a apresentação do internacional colombiano.

«Espero que o Jackson marque muitos golos. É essa a expetativa que se tem perante um jogador como ele. No FC Porto mostrou muita garra e hoje é um dia muito importante para o Portimonense», disse ao Sul Informação. 

O adepto sportinguista já teme pelos jogos em que a equipa de Portimão vai defrontar o clube de José Peseiro. «Tenho medo que marque golos ao meu Sporting, mas nós também temos uma boa defesa!», exclamou.

Questionado sobre se o Portimonense pode ser uma rampa de lançamento para um eventual regresso ao FC Porto, Jackson foi perentório. «O Porto foi o Porto. Agora é o Portimonense e estou focado a 100%».

Quanto a Rodiney Sampaio, presidente da SAD dos algarvios, considerou que o Portimonense tem «um grupo de jogadores forte».

O objetivo da equipa (a manutenção), garante, «vai ser alcançado». O arranque não foi o melhor – o Portimonense tem apenas 1 ponto em quatro jogos e está em último lugar -, mas a verdade é que a vinda de Jackson promete fazer tremer as defesas adversárias…

 

Fotos: Pedro Lemos | Sul Informação

 

Comentários

pub
pub