Francisco Martins é de novo presidente da Comissão Política Concelhia do PS/Lagoa

Eleição sucede a um interregno em que a Concelhia esteve sem liderança por opção dos socialistas lagoenses

Francisco Martins, atual presidente da Câmara de Lagoa, é o novo (e de novo) presidente da Comissão Política Concelhia do PS lagoense, depois das eleições que decorreram no fim de semana.

Após um período em que a Concelhia esteve sem direção, numa atitude de protesto dos socialistas de Lagoa contra a alegada falta de atenção ao concelho, por parte do partido, a nível regional e nacional (e em que a falta de um governante na inauguração da Fatacil de 2017 foi a gota de água), finalmente foram eleitos os órgãos locais.

O anterior presidente da Concelhia socialista lagoense tinha sido Luís Encarnação, que sucedeu nesse cargo precisamente a Francisco Martins, quando este se demitiu das funções, por discordar da anterior liderança do partido a nível regional.

A lista única, eleita para um mandato de dois anos e encabeçada por Francisco Martins, «mereceu a confiança uma vez mais dos militantes de Lagoa que votaram de forma clara, sem qualquer voto branco ou nulo», salientam os socialistas lagoenses em nota de imprensa.

«A chegada ao partido de gente jovem, que quer provar e contribuir com a sua juventude e capacidade de trabalho, implica a necessidade de proceder à renovação do partido e é por aí que iremos trabalhar desde já», salientou o novo presidente da estrutura concelhia.

Na apresentação da sua moção de candidatura «Lagoa Primeiro», Francisco Martins tinha defendido que agora é necessário «introduzir a vertente pedagógica sobre o exercício do poder, partindo para a formação, que permita não só ver o poder, mas aprender a vivê-lo, a senti-lo, para que a “coisa pública” seja conhecida pela verdade e com uma realidade consistente».

O PS/Lagoa sublinha ainda que o facto de ser a «força política mais votada no concelho de Lagoa nestes últimos cinco anos prova que o caminho trilhado é o que os lagoenses esperam, e por isso neste último ato eleitoral autárquico de 2017 atribuíram-lhe a maioria absoluta em todos os órgãos».

Comentários

pub
pub