Caldeirada de Armação, (Ins)tendal e filmes animam Jornadas Europeias do Património

12 concelhos algarvios recebem iniciativa que, este ano, tem como tema “Partilhar Memórias”

Uma caldeirada feita por pescadores de Armação de Pêra, que vão contar histórias de «vida e de temperos», uma exposição de fotografia num (Ins)tendal, instalado na Rua dos Arcos, em Loulé, visitas a faróis e a exibição de filmes nos Monumentos Megalíticos de Alcalar e na Ermida de Guadalupe. Estas são apenas algumas das atividades das Jornadas Europeias do Património (JEP) que, de 28 a 30 de Setembro, enchem o Algarve de cultura. 

Este ano, as JEP têm como tema “Partilhar Memórias”. O objetivo é alertar para a importância da partilha de memórias para que o passado não seja esquecido, fazendo com que a história se eternize na consciência e se transmita de geração para geração.

As Jornadas Europeias do Património são uma iniciativa anual do Conselho da Europa e da União Europeia, que envolve cerca de 50 países, com o objetivo de sensibilizar os cidadãos para a importância do conhecimento, proteção e valorização do Património. A nível nacional, o evento é coordenado pela Direção Geral do Património Cultural (DGPC).

A entrada nos museus, palácios e monumentos sob tutela da DGPC é gratuita no dia 30 para todos os visitantes e nos dia 28 e 29 para todos os interessados em participar nas iniciativas integradas nas JEP. Mas há muito mais para ver, como aqui contamos.

 

Albufeira:

Em Albufeira, o centro das Jornadas Europeias do Património é o emblemático Castelo de Paderne, no qual haverá atividades para toda a família, de 27 a 29 de Setembro, das 10h00 às 16h00.

 

Aljezur:

Passando para Aljezur, o espetáculo “As Desafiadoras”, inspirado nas figuras da mitologia grega, vai animar o Castelo daquela vila. Três mouras convidam ao desafiar de contos, cantos e poesia. O fio presente em toda a performance irá estar entre as mãos das mouras e do público, criando a teia onde todos se veem envolvidos.

Será no dia 22 de Setembro, às 17h00, com autoria e encenação de Ana Machado e Carla Moreira.

A atividade é organizada pela Direção Regional de Cultura do Algarve e Teia d’Impulsos – Associação Social, Cultural e Desportiva, com apoio da Câmara de Aljezur.

O projeto integra o programa DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos e tem entrada livre.

 

Beja:

Beja também vai festejar as Jornadas Europeias do Património. A 29 de Setembro, às 21h30, é exibido, na antiga Junta de Freguesia de Mombeja, o filme “Xaroco“, rodado no Verão de 2017, durante a campanha arqueológica do Outeiro do Circo.

O filme «leva-nos a percorrer o tempo e o espaço onde se cultiva o cereal e se amassa o pão, onde o Cante desafia a força do vento, onde ossos e pedras relevam histórias esquecidas na terra, onde permanece a incerteza», diz a organização.

Já no dia 28, das 9h30 às 19h30, haverá “Memórias do Barro”, numa «viagem pela ancestralidade do barro, pela sua versatilidade e polissemia de usos e significados que pretendemos embarcar. E nessa viagem homenagearemos os tesouros humanos vivos, transportadores da sabedoria e da arte: mestres Isaclino, Cadu e António», diz a organização.

Este evento é organizado pelo Centro UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural e Imaterial de Beja.

No dia seguinte (29 de Setembro), às 15h00, uma conferência dá a conhecer “Beja Medieval, entre o Mundo Islâmico e o Mundo Cristão”. Esta conferência será de Hermenegildo Fernandes, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e diretor do Centro de História da FLUL.

Ainda no âmbito das Jornadas Europeias do Património, decorre a 6 de Outubro a iniciativa “Arqueologia em Comunidade”. Para consultar o programa completo, clique aqui. 

 

Faro:

“Regresso ao Branco” é um espetáculo que promete animar as Ruínas Romanas de Milreu no próximo dia 29 de Setembro, às 19h30. A ideia é «projetar, para um futuro próximo, a herança milenar de uma tradição de Gineceu, confrontando o espetador de hoje com a subversão e a perversão dos valores da contemporaneidade».

A organização é da Direção Regional de Cultura do Algarve e Associação Cultural Música XXI, com participação do seu coral feminino.

O projeto está integrado no DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos. A entrada é livre e a encenação de António Gambóias.

No espetáculo, participam Ana Cristina Oliveira, Margarida Almeida, Leonor Mendes, Luísa Lino e Constança Leitão.

A originalidade das platibandas na arquitetura algarvia é tema para uma conferência, a cargo de Marta Santos, no dia 28, às 16h30. Depois da conferência há uma tertúlia-passeio em Faro, sobre este tema.

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve e o Centro Europe Direct do Algarve são as entidades organizadoras, com apoio da Direção Regional de Cultura do Algarve.

Esta sessão está integrada na exposição “50 livros 50 Algarves … escrever o património” que será inaugurada no mesmo dia 28, às 17h30,  na sala de exposições da CCDR Algarve.

De resto, esta exposição estará patente em Faro, Vila Real de Santo António e Lagoa, de 28 de Setembro a 31 de Outubro, podendo ser visitada das 10h00 às 17h00, nas Bibliotecas Municipais dessas localidades.

Na ilha da Culatra, o Farol do Cabo de Santa Maria vai estar aberto a visitas guiadas, de 28 a 30 de Setembro, das 14h00 às 17h00.

 

Lagoa: 

Em Lagoa, as atividades das Jornadas Europeias do Património incluem visitas guiadas ao Farol de Alfanzina. Será de 28 a 30 de Setembro, das 14h00 às 17h00.

Contadores de histórias vão, por sua vez, transformar o Convento de São José, a Biblioteca Municipal e o Parque Municipal do Sítio das Fontes.

Este encontro contará com a presença de quatro contadores oriundos de todo o país (Jorge Serafim, Bru Junça, Bruno Batista e Luzia Rosário), abrindo espaço à participação de vários públicos específicos, bem como a quem se sinta motivado a contar uma história, uma memória, um conto, uma lenda.

A iniciativa decorre no dia 28, das 10h30 às 11h30, das 14h30 às 15h30 e das 21h00 às 23h30. Já no dia 29 será entre as 14h30 e as 15h30 e as 21h00 e as 23h30.

Para mais informações, basta contactar o 282 380 434 ou o e-mail museu@cm-lagoa.pt.

Ainda no Sítio das Fontes, vai decorrer, a 28 de Setembro, das 10h30 às 12h30, a oficina “Os Dias do Moleiro”, cujos principais objetivos são «evocar memórias de um passado longínquo, num diálogo intergeracional de troca de vivências e saberes, que terminará com a evocação da recordação dos sentidos através da degustação de um pão quente saído do forno».

Esta atividade, gratuita, terá, no máximo, 35 participantes.

Nestas Jornadas Europeias do Património, poderá ir ainda “À Descoberta do Caminho dos Promontórios”. O percurso pretende «levar o visitante pelas arribas recortadas do concelho de Lagoa, entre a praia do Molhe e a Torre da Lapa (em classificação como monumento de interesse público), numa viagem entre a história natural, história humana e o património local».

A iniciativa decorre a 29, às 9h00, com ponto de encontro no Auditório Municipal. A atividade é gratuita, com necessidade de inscrição e 25 participantes no máximo. Para inscrições, basta ligar para o 282 380 400.

 

Lagos: 

Um ciclo de conferências sobre “Lagos, da Monarquia à República” é um dos pontos altos destas Jornadas naquela cidade. Há sessões marcadas para dia 15, 22 e 29 de Setembro, às 16h00.

Da reconquista do Algarve e da importância das Ordens Militares (Idade Média), passando pelo período dos Descobrimentos, onde a construção naval será um dos temas abordados, e do papel desempenhado pela Igreja na organização da Diocese algarvia, através da figura de um dos mais importantes Bispos do Algarve D. Fernando Martins Mascarenhas (Idade Moderna), até à época contemporânea com a implantação da República e o papel da Maçonaria em Portugal, os interessados terão a oportunidade de percorrer vários séculos de História.

No dia 15, o tema são os “Descobrimentos e os estaleiros das construções navais” e a oradora é a professora Amélia Polónia, da Universidade do Porto. Já no dia 22, a conferência aborda o tema “Lagos e a Maçonaria no Algarve”, por António Ventura, da Universidade de Lisboa.

Por fim, no dia 29, a figura de D. Fernão Martins Mascarenhas vai ser evocada, através de uma conferência de José Pedro Paiva, da Universidade de Coimbra.

Além destas conferências, haverá uma apresentação multimédia e conversa aberta, com Francisco Castelo, sobre as “Fotografias e Memórias das Fábricas de Conservas de Peixe”, no dia 29, às 21h00.

«Com base em fotografias e outros documentos coevos, pretendemos suscitar um diálogo assente na partilha de memórias sobre a indústria conserveira e em particular sobre as fábricas existentes no contexto urbano da nossa cidade, recuperando histórias e factos dessa atividade que culminou em finais dos anos 80, mas que foi tão marcante para Lagos na primeira metade do século XX», explica a Câmara Municipal.

Reviver uma atividade antiga (a Arte Xávega) é também o objetivo da iniciativa que decorre a 29 e 30 de Setembro, às 6h30, na Meia Praia.

«A companha e o barco José Fernando lá estarão em atividade, bem cedo, a partir das 6h30 da manhã. Se não puder assistir ao lançamento da arte, poderá apreciar o alar da rede, uma tarefa braçal que reúne mais de uma vintena de tarefeiros que prendem os cabos da rede à cinta e lentamente a puxam para terra. A faina estará concluída por volta das 9h30, com a recolha do pescado, o arrumo da arte e o varar da embarcação», diz a Câmara de Lagos.

Esta atividade depende de fatores imprevisíveis, como o estado do mar, pelo que não é garantida a sua realização.

Para confirmação, o melhor é contactar Helena Castaldo: helena.castaldo@cm-lagos.pt ou 282 771 723 (no dia 28, entre as 14h00 e as 17h00)

Por fim, no dia 30, às 15h00, assinalam-se os 500 anos da história da Igreja de São Sebastião, com uma visita comentada ao Património Arquitetónico Religioso: antigo pórtico tardo-gótico, capela dos ossos, pintura e heráldica de domínio eclesiástico.

As inscrições decorrem até 28 de Setembro no Posto de Turismo: pim@cm-lagos.pt.

 

Loulé:

Museu Municipal Loulé

Passando para Loulé, será apresentada uma antologia de CD sobre o Património Oral no concelho. A Câmara Municipal tem editado um conjunto de livros sobre o património oral do concelho de Loulé, mas agora lança também um conjunto de CD com a tradição oral registada na voz dos informantes, guardiões desta memória.

A apresentação será a 21 de Setembro, às 18h00, no Museu de Loulé, e a obra é de Idália Farinho Custódio, Maria Aliete Farinho Galhoz e Isabel Cardigos.

“Partilhar Memórias” vai ser o tema de uma tarde com as gentes de Alte, a 22 de Setembro, a partir das 16h00. Na iniciativa vão ser recordadas as reuniões dos Amigos do Jornal “Ecos da Serra” que comemorou, em Dezembro de 2017, os seus 50 anos de existência.

Já a escrita do Sudoeste e Idade do Ferro é tema da exposição itinerante que chega a 29 de Setembro, na localidade da Cortelha.

Ainda no interior do concelho de Loulé, realiza-se, no mesmo dia, um percurso interpretativo na Ribeira de Salir. «Ao longo da ribeira, inúmeras estruturas de captação e armazenamento de água associadas aos sistemas de rega permitem-nos conhecer um pouco da agricultura tradicional do barrocal algarvio e das vivências do meio rural», diz a organização.

O passeio decorre das 16h00 às 19h00. É recomendável levar água, um pequeno snack, chapéu, protetor solar e calçado confortável. O ponto de encontro é junto ao edifício da antiga Escola Primária.

As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias até dois dias antes da atividade e podem ser feitas ligando para o 964 782 462.

Por fim, em Loulé um (Ins)tendal vai expor fotografias na Rua dos Arcos. Este é um «projeto em forma de exposição fotográfica que se apresenta como um coletivo, um espaço de diálogo e partilha com a comunidade do lugar», diz a organização.

O (Ins)tendal vai estar patente de 15 a 30 de Setembro.

 

Odemira: 

No concelho do litoral alentejano, decorrem visitas ao Farol do Cabo Sardão, de 28 a 30 de Setembro, das 14h00 às 17h00, além de um passeio, dia 28, a partir das 10h00, guiado por arqueólogo Jorge Vilhena, ao Medo Tojeiro, o nome de um sítio onde existem vestígios de um concheiro pré-histórico.

Já no dia 29, a partir das 11h00, poderá ir à maré com um mariscador que dará a conhecer as principais espécies de marisco e técnicas de marisqueio usadas para a captura destes seres vivos.

 

Olhão: 

O “Património Edificado no Concelho de Olhão“, visto pelos olhos das crianças, é o mote para uma exposição, a ser inaugurada no dia 28 de Setembro, às 17h30, no Museu Municipal.

Este tema foi alvo de um projeto de educação para o património com o nome “O Museu vai à Escola”, levado a cabo durante o ano letivo 2017/2018, sob a coordenação do Museu Municipal de Olhão e que contou com a parceria dos quatro Agrupamentos de Escolas através do acompanhamento e da orientação das Educadoras.

Também haverá “Conversas de Museu“, a 29 de Setembro, às 15h30, tendo como pano de fundo esta exposição. Na iniciativa «serão partilhadas as memórias e experiências com quem esteve perto dos principais intervenientes», explica a organização.

 

Portimão:

A nossa cultura sai à rua” pela sexta vez, em Portimão, no âmbito das JEP. Vão ser dois dias de memórias, saberes e sabores, a 22 e 23 de Setembro.

Este é o primeiro ano em que a iniciativa, organizada pela Câmara de Portimão, pelo Museu de Portimão e pela Junta de Freguesia da Mexilhoeira Grande, decorrerá durante dois dias no Adro da Igreja Matriz da freguesia.

Ainda em Portimão, mas nos Monumentos Megalíticos de Alcalar, a 29 de Setembro, às 21h00, vai ser exibido o filme “Medronho todos os Dias – Unedo Omnes Dies”de Sílvia Coelho e Paulo Raposo, a fechar o ciclo «Mar de Filmes».

Esta película «acompanha o saber singular do processo de produção de aguardente de medronho e a sua presença por toda a região de Monchique». Esta sessão conta com a presença do Grupo Coral da Confraria de Medronho, seguido de uma prova de medronho.

São Brás de Alportel:

Em São Brás, o programa tem início dia 28, às 18h00, com a conferência “Partilhar Memórias: Comemoração dos 500 anos da visitação da Ordem de Santiago a São Brás de Alportel em 1518”, a primeira conferência de um novo ciclo, promovido pelo Gabinete de Arqueologia.

O tema vai ser apresentado pelo Mestre em História de Arte Marco Sousa Santos, no recém-inaugurado Espaço Memória, localizado no edifício da Câmara Municipal de São Brás de Alportel.

Na manhã de sábado, dia 29, as memórias a partilhar são gastronómicas, em mais uma edição da iniciativa “Demonstração Gastronómica” no Mercado Municipal, com a participação do chef Jorge Sancho.

À tarde, o Centro Explicativo e Interpretativo da Calçadinha desafia miúdos e graúdos a “Uma viagem ao tempo dos romanos”, em mais uma edição da tarde de aventuras e travessuras, dança, petiscos históricos, passeios, contos, ateliês lúdico e oficinas pedagógicas.

À noite, a partir das 20h00, a Eira do Museu desafia a mais uma interessante partilha de memórias, em mais uma Desfolhada à Moda Antiga, iniciativa conjunta do Rancho Típico Sambrasense e da Junta de Freguesia de São Brás de Alportel.

«Este interessante convívio intergeracional, com animação musical e petiscos, permite conhecer uma tradição com enorme importância sociocultural na comunidade», diz a Câmara de São Brás.

No domingo, 30, “Partilhando memórias pela antiga via de origem romana: de São Brás a Milreu” é a proposta de passeio Natureza, em edição especial, que desafia a família a conhecer um caminho que guarda memórias milenares.

O Centro Explicativo e Interpretativo da Calçadinha é o ponto de encontro para o início desta viagem no tempo que tem início às 9h00. A participação neste passeio é gratuita mas carece de inscrição prévia junto do centro ou pelo email: centro.calcadinha@cm-sbras.pt.

À noite, a culminar o programa, o Museu do Traje convida a uma Noite de “Fado no Museu”, a partir das 21h00.

Em São Brás de Alportel, o programa de atividades das Jornadas Europeias do Património coincide com a celebração do “SundaySlow”, uma iniciativa partilhada por todas as vilas e cidades que integram a rede mundial “CittasSlow”.

Silves:

Em Silves, no Museu Municipal de Arqueologia, dia 28, das 14h00 às 16h00, haverá, por exemplo, “Jogos com Memórias: do Moinho à Mancala e ao Solado”, cujo objetivo é familiarizar os jovens com os jogos de tabuleiro do mundo islâmico, em que as suas regras são explicadas e os jogos do Moinho, do Soldado, da Mancala, entre outros, experimentados pelos participantes», explica a organização.

Também no mesmo museu, mas dia 29, das 9h30 às 12h30, decorre o workshop “Memórias Moldadas: esgravitando padrões”, em que os participantes são convidados a experimentar a técnica decorativa do esgrafitado, que consiste em fazer incisões com um estilete para deixar a descoberto a camada inferior de tinta, imitando baixos relevos».

A atividade é gratuita e encontra-se sujeita a marcação prévia até às 12h00 do dia 26 de Setembro, realizando-se com um máximo de 20 participantes.

Os contactos para inscrições são o patrimoniocultural@cm-silves.pt ou 282 440 854.

Nunca esquecendo o tema central destas JEP – “Partilhar Memórias” – decorre, no dia 29, das 11h00 às 14h00… a confeção, na praia, de uma caldeirada à moda de Armação de Pêra.

O repasto vai ser confecionado por pescadores que, enquanto cozinham, vão contar «histórias de vida e de temperos».

A atividade está sujeita a marcação prévia até às 12h00 do dia 26, realizando-se com um máximo de 50 participantes. A inscrição é gratuita e pode ser feita para estes contactos (patrimoniocultural@cm-silves.pt ou 282 440 854). Por motivos ecológicos, cada participante terá de levar, de casa, o copo os talheres e o prato.

No Largo do Poço da Câmara, em Silves, no dia 28, decorrem, por sua vez, ” Jogos com Memórias: da cabra-cega ao pião com os nossos avós”.

A ideia é «promover espaços de convivialidade entre crianças e idosos, partilhando saberes e memórias de infância dos mais velhos». Nesta atividade, que decorre das 10h00 às 12h00, as crianças serão convidadas pelos mais velhos a conhecer a sua infância. As regras vão ser explicadas pelos mais velhos.

Quanto à produção vinícola na região de Silves da Antiguidade à Idade Média será tema para uma conversa no dia 29 de Setembro, das 18h00 às 20h00, no Castelo de Silves.

Para falar da “História do Vinho”, os convidados são João Pedro Bernardes e Luís Oliveira, professores da Universidade do Algarve, investigadores e especialistas na História do Algarve durante o Período Romano e a Idade Média. A tertúlia será acompanhada de provas de vinho.

Outra das iniciativas decorre a 30 de Setembro, das 10h00 às 13h00, e trata-se de um passeio a pé que vai dar a conhecer emblemáticos edifícios da cidade de Silves que costumam estar fechados ao público. São eles o átrio do edifício das Casas Grandes, a Quinta de Mata Mouros e Moinho da Horta do Rodete, a Capela das Artes e as ruínas arqueológicas da Biblioteca de Silves.

A atividade está sujeita a marcação prévia, até às 12h00 do dia 26 de Setembro  e realiza-se com um mínimo de 10 participantes e um máximo de 50.

Em Messines, há duas atividades previstas no âmbito das JEP. A primeira decorre a 29 de Setembro, das 15h00 às 17h00, no Museu do Traje e das Tradições, e é um workshop que quer «transmitir conhecimentos sobre as técnicas decorativas e acabamento que lhe estão associadas, permitindo a cada um decorar o seu próprio azulejo».

A segunda é uma história sobre o chocolate, a 30 de Setembro, das 15h00 às 17h00, na Casa Museu João de Deus. Neste workshop, os participantes vão ver como se trabalha o chocolate. E, no final, para rematar em beleza, há uma prova dos vários bombons que foram elaborados.

A atividade é sujeita a marcação prévia até às 12h00 do dia 26 de Setembro e realiza-se com um mínimo de cinco participantes e um máximo de 15.

 

Tavira:

Tavira associa-se, nos dias 27 e 29 de Setembro, às Jornadas Europeias do Património com a realização de duas iniciativas: uma oficina de construção de marionetas e uma visita guiada à exposição “Mulheres Modernas na obra de José de Almada Negreiros”.

A oficina de construção de marionetas (Teatro D. Roberto) decorre, no dia 27, entre as 19h00 e as 23h00, no Museu Municipal de Tavira – Palácio da Galeria.

Esta iniciativa integra o FOMe – Festival de Objetos e Marionetas e visa sensibilizar os formandos para o universo do teatro de marionetas, através da construção de uma marioneta de luva.

A atividade, orientada pelo ator e artista plástico João Costa, tem como objetivos fomentar a criação de personagens do Teatro D. Roberto, abordar as diferentes técnicas de manipulação e a realização de um pequeno ensaio através da manipulação das marionetas em grupo.

A ação, de inscrição obrigatória, destina-se ao público em geral e é limitada a um número máximo de 20 participantes.

No dia 29, às 15h00, tem lugar, também no Museu Municipal de Tavira – Palácio da Galeria, uma visita guiada à exposição “Mulheres Modernas na obra de José de Almada Negreiros” pela curadora Mariana Pinto dos Santos.

A visita é de inscrição obrigatória, destina-se ao público em geral e está limitada a um máximo de 30 participantes.

As inscrições podem ser feitas ligando para o 281 320 500.

 

Vila do Bispo:

Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe

Em Vila do Bispo, vai decorrer, de 28 a 30 de Setembro, das 14h00 às 17h00, uma visita guiada ao Farol do Cabo de São Vicente.

As “Noites Fantásticas em Guadalupe” voltam à Ermida situada na Raposeira, no dia 29 de Setembro, das 20h30 às 22h30. O público será convidado a refletir sobre a importância da existência do património. Entre música, palavra e um copo de vinho, os participantes serão convidados a viajar.

O projeto está integrado no programa DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos e a entrada é livre.

Ainda em Guadalupe, no dia 22, às 21h00, é exibido o filme “Pedra e Cal”, de Catarina Alves Costa, numa iniciativa que faz parte do ciclo “Um Mar de Filmes”. Nesta película, a realizadora testemunha o despovoamento que condena o interior do Alentejo.

Este também é um projeto integrante do DiVaM e a entrada é livre.

Para a Fortaleza de Sagres, está reservado um “Cachecol que Agasalha Portugal“. A iniciativa nasceu no Jardim de Infância de Vila do Bispo, voou e saltou fronteiras. Agora regressa a este concelho e a Rosa dos Ventos da Fortaleza de Sagres será o mote de inspiração para as crianças fazerem um grande cachecol.

A organização é da Direção Regional de Cultura do Algarve e do Agrupamento de Escolas de Vila do Bispo/ Jardim Infância Vila Bispo.

Por fim, em Vila do Bispo, decorrem visitas guiadas à Igreja de Nossa Senhora da Conceição, a 28 de Setembro, das 11h00 às 14h00.

A atividade pretende dar a conhecer a todos os interessados a riqueza histórica, artística e cultural do Monumento, bem como algumas tradições locais a ele associadas.

 

Vila Real de Santo António:

Por fim, em Vila Real de Santo António decorrem visitas guiadas ao farol daquela cidade, de 28 a 30 de Setembro, das 14h00 às 17h00.

Na envolvente à aldeia de Santa Rita, decorre um passeio com paragem em vários pontos ligados à água (fontes, poços, ribeira, nora) e a partilha de lendas, vivências e memórias ligadas a este elemento (tirar água do poço, beber, regar, lavar a roupa).

Será no dia 28 de Setembro, das 10h00 às 12h30, só para público escolar.

Comentários

pub
pub