Uvas algarvias resistem à vaga de calor e até se prevê mais vinho

CVA promoveu iniciativa Sunset com Vinhos do Algarve, que percorreu o litoral algarvio durante 15 dias

«A vaga de calor, registada no início de Agosto, que assolou a Europa e que, em Portugal, em algumas regiões, causou estragos e perdas significativas na produção de uva, não se sentiu de forma significativa na viticultura algarvia» revelou Carlos Gracias, presidente da Comissão Vitivinícola do Algarve (CVA).

Segundo este responsável, mantem-se «a perspetiva de um novo aumento da produção, situação a confirmar-se com os trabalhos das vindimas para breve».

Carlos Gracias falava à margem da iniciativa Sunset com Vinhos do Algarve, que percorreu o litoral algarvio durante 15 dias e terminou ontem na praia de Monte Gordo, com mais de 1.500 provas gratuitas de Vinhos do Algarve, numa ação de promoção original, descontraída e sobretudo muito refrescante.

Apostar na divulgação dos Vinhos do Algarve, com destaque para os vinhos frescos de Verão, como os brancos e rosados, e a ligação natural ao calor, animação, convívio e à paisagem, que os fins-de-tarde em agosto proporcionam aos veraneantes, foi o mote principal da iniciativa da CVA – Comissão Vitivinícola do Algarve.

Este foi o segundo ano do evento que teve uma forte transformação face ao ano passado, alargando-se o número de dias para 15, e como consequência o número de locais abrangidos, tendo a carrinha de provas personalizada, estado em dois locais tão opostos como a Praia da Luz (Lagos) e Praia de Monte Gordo, onde terminou o evento no dia 15, após o seu início a 1 de Agosto.

Após 15 dias de intensa ação e promoção, Cátia Campos e Andreia Ferreira – sócias da Algarve Views, a empresa coordenadora da logística das provas – confessavam algum cansaço, que não era nada notório, pois foram sempre a alma do projeto, revezando-se entre provas, trocas de copos e explicações ao público, que ora surgem individualmente ou aos pares, como em grupos de seis ou mais, criando uma parede em toda a volta da carrinha.

O balanço que Andreia Ferreira faz é positivo: «sinto que valeu a pena o esforço, conseguimos levar a marca Vinhos do Algarve junto de um público, tanto estrangeiros como nacional, que não conhecia os vinhos ou que não tinha ideia da variedade disponível, pois tivemos cerca de 40 referências em prova».

Sobre as dificuldades e melhorias para a próxima edição, Andreia Ferreira reconhece que «da nossa parte, temos pequenos problemas que resolvemos com o nosso esforço, como é o caso de manter o vinho fresco, mesmo estando ao Sol. O que gostaríamos de melhorar é uma dificuldade, e algum excesso de burocracia, nas autorizações e definições dos locais para a colocação da carrinha de provas, o que por vezes é mais complicado do que realizar a prova com centenas de pessoas sob intenso calor».

 

Comentários

pub
pub