RTA diz que foram retirados 500 turistas de zonas afetadas pelo fogo de Monchique

Turistas «nunca estiveram em risco» e continuaram as suas férias noutras unidades hoteleiras

Foram retirados «cerca de 500 turistas» de hotéis de Monchique, mas estes «nunca estiveram em risco e puderam dar continuidade às suas férias em alojamentos junto à costa algarvia», garantiu a Região de Turismo do Algarve (RTA).

No dia em que o Governo do Reino Unido desaconselhou os turistas britânicos a «viajar para as áreas onde os fogos estão ativos», no Algarve, a RTA veio a público garantir aos operadores turísticos que está a acompanhar em permanência o evoluir da situação relativa ao incêndio rural que está ativo na serra de Monchique desde o dia 3 de Agosto, «mantendo, para o efeito, uma ligação direta à autoridade de proteção civil distrital – Comando Distrital de Operações de Socorro de Faro».

«Os estabelecimentos de hotelaria têm-se mantido em ligação permanente com as autoridades de proteção civil e com a Região de Turismo do Algarve, estando a acompanhar o evoluir da situações operacional, podendo assim garantir a segurança e a tranquilidade dos seus hóspedes», disse a RTA.

A entidade pública responsável pela promoção turística do Algarve assegurou que a região «continua a ser absolutamente seguro para quem nos visita». «A zona afetada pelo incêndio é distante do litoral e está inacessível a residentes e a turistas enquanto decorrem os trabalhos da Proteção Civil», disse a RTA, que argumenta que «apenas uma pequena parte na serra algarvia foi afetada pelos incómodos resultantes deste incêndio na zona de Monchique».

A Região de Turismo do Algarve disse, ainda, que «os visitantes do Algarve podem continuar a fruir com calma e tranquilidade as suas férias e confiar na qualidade dos serviços turísticos oferecidos pela região e na gestão da situação operacional por parte das autoridades de Proteção Civil».

Afinal, diz aquela entidade, «a nuvem de fumo produzido pelo incêndio que ontem foi visível a partir das praias devido ao vento já se dissipou e não constituiu perigo para as pessoas.

Este comunicado é lançado ao sétimo dia de um incêndio que já destruiu mais de 23 mil hectares nos concelhos de Monchique, Silves e Portimão e numa altura em que há esperança de que o incêndio possa ser dominado.

Comentários

pub
pub