Greve dos trabalhadores da EVA com «86% de adesão»

Greve afeta as empresas Eva-Transportes, Próximo, Translagos e Frota Azul

O primeiro dia da greve de dois dias dos trabalhadores das empresas do grupo EVA/Barraqueiro teve «uma adesão média de 85%» e chegou «a atingir os 98% nos transportes urbanos», assegurou a Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans).

Esta paralisação, convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal e pela Fectrans, afetou os serviços Eva-Transportes, Próximo, Translagos e Frota Azul, responsáveis pelas carreiras interurbanas do Algarve, mas também pelos transportes urbanos em Faro, Lagos e Portimão e pelo serviço de autocarros interregionais Mundial Turismo.

A greve levou à supressão de autocarros e perturbou os serviços, apesar de, segundo acusou a federação, ter havido «situações de substituição de trabalhadores em greve».

Esta é a segunda vez que os trabalhadores da EVA/Barraqueiro decidem parar, no espaço de pouco mais de um mês. A decisão de partir para nova jornada de luta deveu-se ao facto de os trabalhadores «terem considerado insuficientes as últimas propostas das empresas do grupo Barraqueiro».

«A adesão dos trabalhadores é demonstrativa para o grupo Barraqueiro de que tem que voltar à negociação com outras propostas», concluiu a Fectrans.

Entretanto, a DECO Algarve denunciou que a EVA Transportes não prestou qualquer informação aos utentes sobre a greve e o cancelamento de carreiras.

«A delegação regional [da Deco]deslocou-se ao terminal rodoviário de Faro e confirmou a ausência de disponibilização de informação aos passageiros sobre os cancelamentos, facto que também se verifica no sítio da Internet da operadora. De igual modo, aos utentes não estão a ser oferecidos transportes alternativos para minimizar os efeitos da paralisação, prevista para hoje e amanhã, dias 9 e 10 de Agosto», revela a associação de defesa do consumidor.

Comentários

pub
pub