Governo britânico desaconselha viagens para zonas atingidas pelos fogos no Algarve

Jorge Botelho admite que esta não é uma boa notícia para o Algarve

O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido desaconselha os turistas britânicos a «viajar para as áreas onde os fogos estão ativos», no Algarve.

Num aviso publicado na página do Governo britânico, é explicado que «um grande incêndio florestal, que começou há alguns dias na área de Monchique, no Algarve, alastrou aos municípios vizinhos».

O aviso realça ainda que «as autoridades portuguesas estão a evacuar as áreas afetadas» e que «os fortes ventos na região tornam imprevisível a progressão do incêndio».

Para os britânicos que já se encontram na área, o Governo britânico aconselha a «seguir as instruções da polícia portuguesa e das autoridades de Proteção Civil».

Este aviso, emitido por um dos principais mercados emissores de turistas para o Algarve, preocupa os autarcas. Jorge Botelho, presidente da AMAL, no final da reunião extraordinária da Proteção Civil Distrital, considerou que «obviamente qualquer notícia neste sentido não é boa para o Algarve. Sempre tentámos transmitir que o Algarve continua a ser, e é, um destino seguro, que protege quem é afetado por esta situação de catástrofe, que começou numa região, que tem vindo a ser alargada».

No entanto, realça o autarca de Tavira, «há zonas no Algarve onde isto não está a acontecer, as pessoas continuam em férias. Nós continuamos a dizer que o Algarve é um destino seguro, que as pessoas não devem alterar as suas vidas, apenas se forem confrontadas diretamente com esta situação», concluiu.

A Região de Turismo do Algarve vai emitir em breve um comunicado a comentar esta tomada de posição do governo britânico, segundo apurou o Sul Informação.

Comentários

pub
pub