PSD/Algarve acusa direção regional do IEFP de «deixar fugir» parte do orçamento

Social-democratas algarvios denunciam alegado desinvestimento do IEFP na região

O PSD/Algarve acusa o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) no Algarve de ter deixado «fugir cerca de 25% do orçamento» que tinha em 2017. 

Em comunicado, o PSD diz que «os números do desemprego no Algarve, aparentemente positivos, escondem uma tragédia da qual, se nada for feito, todos nos iremos arrepender».

Para aquele partido político, «de 2015 até à presente data», a execução financeira do IEFP no Algarve «tem vindo progressivamente a descer, tendo essa diminuição no ano de 2017 caído abruptamente».

«De um orçamento em 2017 no valor global de 31,3 milhões de euros para despesas de funcionamento, formação e investimento, o IEFP Algarve somente conseguiu executar 20,5 milhões».

Essa redução, acusa o PSD, foi feita «à custa da diminuição do volume de formação, assim como dos investimentos de manutenção e conservação dos espaços formativos e equipamentos existentes».

Os social-democratas acusam a equipa diretiva do IEFP de «incapacidade», o que levou a que o orçamento para este ano fosse reduzido para 23 milhões de euros.

Essa redução levou ao «encerramento dos espaços oficinais – destinados aos cursos de costura, agricultura, eletricidade, eletrónica, manutenção hoteleira, refrigeração e climatização, soldadura, canalizações, energias renováveis, cerâmica criativa e restaurante/bar – bem como ao estado de degradação e abandono em que se encontra a maioria desses espaços».

«Há um outro perigo que o abandono da vertente formativa do IEFP no Algarve irá provocar e que se prende com o desaparecimento das competências existentes na região em diferentes domínios», acrescentam.

O PSD termina este comunicado, convidando o Governo a «visitar as instalações do IEFP na região» algarvia.

Comentários

pub
pub