Papaya corta nos plásticos

Restaurante farense de comida saudável muda comportamentos e aposta em métodos e materiais mais amigos do ambiente

Conteúdo Patrocinado

Numa altura em que os perigos do plástico na natureza são cada vez mais conhecidos e começam a surgir campanhas para melhorar o comportamento do seu uso, o Papaya comprometeu-se a descontinuar a venda dos seus produtos em recipientes de plástico e, garante Ricardo Mariano, CEO do Grupo Timing, proprietário do Papaya, “durante o primeiro trimestre de 2019 o restaurante de comida saudável diz adeus ao plástico”.

O Papaya vai assim alterar comportamentos e adotar medidas amigas do ambiente como alterar as palhinhas de plástico por outras feitas à base de amido de milho, bem como a mudança dos copos por outros reutilizáveis, as palhetas para o café serão substituídas por outras feitas de material reciclável, entre muitas outras medidas.

Ricardo Mariano diz que “é indiscutível que o plástico é um problema muito grave para o planeta e que, devido a isso, qualquer proposta que apareça para o solucionar, desde a menos ambiciosa até à mais difícil de implementar, deve ser levada em conta” e acrescenta “devem ser as empresas a dar o exemplo eliminando a ideia de que o plástico é um material insubstituível. É necessária uma maior consciência ambiental e entender que com pequenos gestos é possível reduzir o plástico e preservar, dessa forma, o planeta onde vivemos”.

Comentários

pub
pub