António Pina quer travessia aérea para substituir passagem de nível da Estação de Olhão

Há um projeto e até já foi lançada o concurso da obra de adaptação do túnel que passa por baixo […]

Há um projeto e até já foi lançada o concurso da obra de adaptação do túnel que passa por baixo da linha férrea, junto à Estação de Olhão, para acolher trânsito pedonal. Mas o presidente da Câmara de Olhão António Pina está convicto de que a alternativa à passagem de nível que a Infraestruturas de Portugal há muito quer fechar poderá passar por uma «travessia superior totalmente mecanizada».

O edil olhanense explicou ao Sul Informação que, apesar do concurso para a obra de adaptação ter sido lançado, este «ficou deserto».

«Todas as propostas que chegaram eram acima do preço base, o que significa que nenhuma era válida. Estamos agora a fazer o ajuste dos preços constantes do Caderno de Encargos, mas também a estudar outra solução, que poderá passar por uma passagem superior totalmente mecanizada», revelou António Pina.

Esta solução seria «mais cara, mas seria, eventualmente, mais favorável para as pessoas de mobilidade reduzida ou com dificuldades a este nível». O acesso a esta passagem aérea seria feito «por escadas rolantes e por elevadores», em vez de uma rampa, como foi sugerido num primeiro momento.

O presidente da Câmara de Olhão volta a avançar com esta ideia, que já tinha sido falada numa sessão pública realizada em 2014, porque diz não estar totalmente satisfeito com a solução atual, em que a passagem inferior já existente será adaptada.

«A solução inferior nunca me agradou e continua a não me agradar. Acho que não é agradável andar por baixo de um túnel e, mesmo ao nível da mobilidade, a solução prevista não diminui suficientemente os declives nas extremidades de modo a tornar a passagem amiga de pessoas de mobilidade reduzida ou condicionada», defendeu.

Tendo em conta que a IP se mostra irredutível na decisão de fechar a atual passagem de nível – «volto a dizer que seria suficientemente segura se aumentássemos os níveis de segurança, com uma cancela e com semaforização – António Pina defende uma passagem aérea.

«Estamos sempre a tempo de procurar soluções melhores», acredita António Pina, que conta «falar em breve» com a Infraestruturas de Portugal e propor esta alternativa.

Neste momento, como frisou a Infraestruturas de Portugal, questionada pelo Sul Informação sobre o andamento do processo, a bola está do lado da Câmara de Olhão, que terá de custear a obra. No entanto, a empresa de capitais públicos que gere a ferrovia e as estradas nacionais não se mostra disposta a esperar muito para que seja encontrada uma alternativa à passagem de nível pedonal que existe junto à Estação da CP de Olhão.

O fecho desta travessia, em 2014, foi muito contestado pela população e marcada por um autêntico jogo do gato e do rato, protagonizado pela IP – na altura, Refer -, que fechava a passagem, e pela população, que a reabria à primeira oportunidade. Isto porque a passagem inferior que existe no túnel que liga as avenidas Bernardino da Silva e da República tem declives elevados, o que tornava muito difícil ou mesmo impossível a travessia de pessoas com mobilidade reduzida.

A solução encontrada, então, foi a da reabertura da passagem de nível, mas de forma temporária, até que fossem realizadas obras que permitissem atenuar os declives da passagem pedonal inferior.

A intervenção foi sendo adiada pela Câmara de Olhão, por alegados ajustes técnicos que foi necessário fazer, o que levou a IP a voltar  a fechar a passagem de nível em Janeiro.

A travessia reabriu um mês depois, após garantias por parte da autarquia que o concurso iria ser lançado em breve.

Comentários

pub
pub