pub
Imprimir

Mata do Liceu e Jardim da Alameda vão estar requalificados em 2021

Jardim da Alameda – Foto: Gonçalo Dourado|Sul Informação

A Mata do Liceu e o Jardim da Alameda João de Deus, em Faro, vão estar de cara lavada «no final de 2020 ou 2021». A Câmara de Faro apresentou, esta quinta-feira, os planos de requalificação para estes dois espaços verdes, que vão custar cerca de 1,4 milhões de euros.

Segundo Rogério Bacalhau, presidente da autarquia da capital algarvia, «é provável que as intervenções possam realizar-se a partir do final do próximo ano ou no início de 2020. O concurso leva tempo a preparar e um concurso desta natureza nunca levará menos de 10, 11 ou 12 meses. Depois, tendo em conta os valores em causa, que implicam o visto do Tribunal de Contas, levará tudo muito tempo. Este processo iniciou-se no ano passado, levará mais dois anos até estar concluído».

O autarca explica que «só vamos iniciar as obras, provavelmente, em 2020. Depois serão nove meses de trabalhos. Entre o final de 2020 e 2021, os espaços vão estar requalificados. É a programação que temos».

Rogério Bacalhau e José Brito na apresentação dos projetos – Foto: Nuno Costa|Sul Informação

No caso do Jardim da Alameda, a intervenção, que vai custar 650 mil euros, prevê a melhoria do pavimento dos eixos de circulação pedonal, a rearborização e replantação, nova iluminação, novo mobiliário urbano, o desenho de novos circuitos pedonais, a criação de um parque infantil «imaginativo e interativo a nível psicomotor», a relocalização e o reequipamento do parque geriátrico, a transformação do ringue de patinagem em plataforma multifuncional, que possa receber eventos, a reconstrução das características do “Caracol dos Namorados” e a criação de novas casas de banho e áreas de serviço.

Já a obra na Mata do Liceu, segundo a Câmara, «pretende respeitar o desenho existente, potenciando a sua diversificação funcional para todas as idades». O projeto procurou «recriar alguns dos espaços já existentes, como o parque geriátrico, o parque infantil e o anfiteatro, e introduzir novos espaços âncora, como é o caso da área de Street Workout, do arborismo e do Memorial».

A proposta para a Mata do Liceu pretende também hierarquizar os percursos pedonais, com a criação de um percurso principal, «amplo, confortável e de grande amplitude visual, e de um percurso secundário, semelhante a uma pista de corta-mato, destinado à prática de exercício físico.

Um dos grandes problemas que levaram à degradação quer da Mata do Liceu, quer do Jardim da Alameda, foi a falta de manutenção. Desta vez, para evitar que estas questões se repitam, será entregue à Câmara de Faro um plano de gestão que detalha timings para intervenções necessárias, para que estes dois importantes espaços verdes da cidade não se voltem a degradar.

Para Rogério Bacalhau, era necessária «uma grande intervenção» nestes dois locais. «Se fizéssemos intervenções pontuais, para mudar luminárias, por exemplo, iriam perder-se no meio da amálgama de problemas que existem», explicou.

Os dois projetos foram apresentados por José Brito, arquiteto paisagista, no âmbito da iniciativa Faro Positivo, que pretende dar a conhecer as obras em curso no concelho.

Além dos projetos de requalificação para a Mata do Liceu e do Jardim da Alameda, foi apresentado, nesta iniciativa, o projeto de realojamento dos pescadores da comunidade piscatória da Praia de Faro, no Montenegro, e foram visitadas as obras, já em curso, do Polidesportivo da Conceição de Faro e do Centro de Treinos de Alto Rendimento do Parque das Cidades.

 

Comentários

pub