Faro, Loulé, Portimão, Tavira, Silves e Albufeira celebram Dia Internacional dos Museus

“Vestidos de História”, em Silves, um encontro de fotografia artesanal, em Loulé, ou um espetáculo com musas, em Faro, são […]

“Vestidos de História”, em Silves, um encontro de fotografia artesanal, em Loulé, ou um espetáculo com musas, em Faro, são algumas das atividades comemorativas do Dia Internacional dos Museus, esta sexta-feira, 18 de Maio, no Algarve. 

Na região haverá atividades em Faro, Loulé, Portimão, Tavira, Silves e Albufeira. Começando pela capital do Algarve, esta sexta-feira, às 10h00, decorre o espetáculo “As Musas habitam o Museu”, um recital de música e poesia a cargo de Afonso Dias e Tânia Silva.

Esta é «uma oportunidade de ouvir belas melodias e encenações de figuras mitológicas que ainda hoje inspiram estes locais e que guardam os tesouros da nossa cultura», diz a Câmara de Faro.

A primeira sessão destina-se a turmas do 1º ciclo das escolas do concelho, repetindo-se às 15h00 para famílias.

No sábado, dia 19 de Maio, às 18h00, será inaugurada, por sua vez, a exposição “A Reserva da Família e as obras do Museu Municipal de Faro: Manuel Filipe (1908-2002)”.

A mostra reúne pinturas deste artista natural de Condeixa-a-Nova pertencentes ao acervo do Museu Municipal de Faro e também à coleção da família, num registo artístico muito ligado ao neorrealismo.

À noite, a partir das 21h30, faz-se silêncio para ouvir o fado. Apenas se ouvirá a voz de António Pinto Basto, consagrado músico eborense que na década de 80 e 90 recebeu múltiplos prémios e interpretou temas de enorme sucesso como Rosa Branca. Esta será a primeira vez que o fadista atua no Museu Municipal de Faro, sendo por isso um momento histórico e um dos pontos altos destas comemorações.

A participação nas atividades é gratuita mas sujeita a um número limitado de inscrições, que deverão ser efetuadas através dos seguintes contactos: 289870827/9 ou correio eletrónico (museu.municipal@cm-faro.pt).

Quanto a Silves, haverá um programa de atividades no Museu Municipal de Arqueologia de Silves (MMAS) e no Museu do Traje e das Tradições (MTT) em São Bartolomeu de Messines, e que se estenderá até dia 19.

 

Assim, ao longo do dia 18 de Maio quem visitar o MMAS, poderá usufruir de entrada gratuita.

A programação tem início com “Vestidos de História – Experiência fotográfica”, uma atividade que disponibiliza fatos históricos ou simples adornos (tiaras, coroas, capacetes ou túnicas de soldado romano, turbantes, etc) para os visitantes envergarem e se fotografarem. Esta atividade, que contribui para a diversificação e enriquecimento da experiência vivida durante a visita ao Museu, é dirigida ao público em geral e decorre das 10h00 às 18h00.

Museu de Silves

Com o mesmo horário, “Disfarçados de Museu – Experiência fotográfica” disponibiliza um painel com o formato de alguns dos objetos arqueológicos existentes no Museu para que os visitantes possam fazer parte desse objeto e, caso o desejem, tirar uma fotografia.

Das 10h00 às 12h00, decorrerá a atividade para o público infantojuvenil “Do Puzzle ao Objeto”, com o objetivo de dar a conhecer a área da conservação e restauro, a sua prática e importância na salvaguarda do património material. Partindo de peças cerâmicas recentes e fragmentadas, os participantes são convidados a realizar os respetivos puzzles reconstrutivos, procedendo, depois, à colagem destes e à simulação de pequenos restauros.

Ainda para público infantojuvenil, decorrerá, das 14h00 às 16h00, a atividade “Bingo no Museu”. Inspirado no tradicional jogo do Bingo, serão disponibilizados cartões, não com números mas com conjuntos de objetos do Museu que se preencherão com os objetos que a sorte ditar. Ganha quem primeiro completar os cartões, não só o jogo como uma surpresa que está reservada ao vencedor.

Às 17h00 decorrerá a “Inauguração de legendagem bilingue – Exposição Permanente”. A partir deste dia, o MMAS passará a contar com legendagem uniformizada nas línguas portuguesa e inglesa. Segue-se, às 17h30, a “inauguração de sistema multimédia de visita virtual ao Poço-Cisterna”, que permitirá aos visitantes que não tiverem possibilidade de descer ao Poço-Cisterna, por opção ou limitações de qualquer ordem, descer os cerca de 60 degraus através de uma visita virtual, acompanhada em dois idiomas.

Por último, a sala de exposições temporárias do MMAS acolherá a exposição “Villa romana da Corte: Dinâmica de ocupação e quotidiano de uma população rural”. A inauguração decorrerá às 18h00 e consiste numa exposição temporária que pretende mostrar os resultados das diversas campanhas de escavações arqueológicas realizadas por equipa alemã da Universidade de Jena, na villa romana da Corte (São Bartolomeu de Messines).

Nesse mesmo dia, o MTT acolherá, entre as 10h00 e as 12h00, “A escola no Tempo dos Nossos Avós”, uma atividade que quer mostrar como a escola, no tempo do Estado Novo, era muito diferente da realidade de hoje.

Durante o Estado Novo, o quadro de ardósia, a fotografia de Salazar, o crucifixo, as carteiras de madeira e o Hino Nacional, cantado pelos alunos todas as manhãs, caracterizavam todas as escolas primárias do nosso país. Nesta atividade os participantes irão vivenciar a escola do tempo dos nossos avós e descobrir as principais diferenças no ensino, nos materiais utilizados e na relação entre alunos e professor. A memória coletiva dos seniores será o ponto de partida para a partilha de histórias que fizeram a história de objetos e vivências do nosso quotidiano.

“Falando de Profissões” é uma atividade para o público infantojuvenil e sénior e que decorrerá das 14h00 às 16h00. Aqui irá procurar-se responder à pergunta “O que gostarias de ser quando fores grande?” e falar de como, noutros tempos, era encarada e desenvolvida a profissão, por vezes durante uma vida inteira. Aqui também haverá lugar para se falar de profissões que as tecnologias e o desenvolvimento extinguiram e, nalguns casos, como ainda hoje fariam falta.

O programa persegue no dia 19 de Maio, com a “Noite dos Museus” e a dinamização da atividade “No Museu com Pipocas”. No MMAS, às 21h30, será exibido o filme “ “Missão Cleópatra”, filme da saga Asterix e Obelix, e no MTT, à mesma hora, o filme “Cinema Paraíso”, de 1988, passado numa aldeia rural em Itália, que nos remete para ambientes rurais em que as relações de vizinhança e as tradições se enaltecem. Haverá, em ambos os casos, pipocas à descrição.

Em Tavira, também há atividades previstas. De modo a assinalar o Dia Internacional dos Museus, no dia 18 de Maio, as entradas no Museu Municipal de Tavira – Palácio da Galeria e Núcleo Islâmico são gratuitas.

Neste dia, todos os interessados terão a oportunidade de visitar, entre as 9h15 e as 16h30, no Palácio da Galeria, as exposições “Dieta Mediterrânica – Património Cultural Milenar” – património cultural imaterial da Humanidade/UNESCO” e “António Carmo… 50 anos de pintura até Tavira”, de artes visuais.

Já no Núcleo Islâmico, podem ser visitadas as exposições “Tavira Islâmica” – coleção de objetos sobre a presença muçulmana, incluindo o “Vaso de Tavira”, muralha islâmica, mapas e vídeo, e “Arqueologia em Tavira: Desvendando o Passado”, que faz o balanço das últimas décadas de escavações arqueológicas na cidade e região.

Em Loulé, o Município apresenta um programa de iniciativas integradas num Encontro de Fotografia Artesanal. Conferências, workshops, exposições, interações de rua e um concerto são algumas das propostas.

Este encontro realiza-se no auditório do Convento de Espírito Santo e arranca no dia 18, a partir das 10h00, com a sessão de abertura por Dália Paulo, diretora municipal, Nuno Ribeiro, da ETIC, e João Serrão, chefe de Divisão de Cultura da Câmara Municipal de Loulé.

Fernando Amaro, da Universidade do Algarve, traz à discussão “A Fotografia Líquida na Era da Desmaterialização”, seguindo-se uma intervenção do fotógrafo artesanal João Barrinha sobre “A fabulosa máquina de fazer parar o tempo” e um debate com o público presente.

À tarde, a partir das 14h30, os arquitetos Vítor Mestre e Sofia Aleixo irão falar sobre a intervenção na Casa-Estúdio Carlos Relvas, na Golegã, enquanto que a técnica municipal Helga Serôdio irá mostrar aos presentes um pouco do espólio de Guerreiro Padre, emblemático fotógrafo louletano.

Depois, o fotógrafo amador Frederico Mendes irá explicar o processo fotográfico de colódio húmido a partir de máquinas fotográficas artesanais.

Às 17h00, será apresentado o projeto Kapta, pela técnica municipal e arqueóloga Alexandra Pires, o fotógrafo Jorge Graça e a professora Margarida Maria.

Este é um projeto conjunto do Museu Municipal de Loulé e uma turma da Escola Secundária de Loulé. Partindo da coleção do Museu, o objetivo deste projeto foi sensibilizar os jovens para o conceito de património nas suas várias vertentes.

Ao valorizar a fotografia enquanto património pretendeu-se dar a conhecer alguns processos que marcaram a evolução da fotografia, bem como alguns trabalhos de pesquisa e salvaguarda que têm vindo a ser desenvolvidos nesta área. Ao longo do ano letivo tiveram lugar várias sessões de trabalho que resultaram nesta exposição. O projeto teve a colaboração do fotógrafo Jorge Graça.

Como resultado do projeto Kapta, será inaugurada uma exposição às 18h00, no CECAL – Centro de Experimentação e Criação Artística de Loulé. Esta exposição vai estar patente ao público até 29 de Junho e pode ser visitada de terça-feira a sexta-feira, das 10h00 às 13h00, e ao sábado, das 10h00 às 16h30.

A “Noite Europeia dos Museus” será animada com o concerto noturno de M-PeX – guitarra portuguesa e música eletrónica, às 22h00, no pátio da Alcaidaria do Castelo. M-PeX é um músico, compositor e produtor que tem na guitarra portuguesa o traço distintivo da sua identidade musical, posicionando-a enquanto instrumento solista em ambientes sonoros diversificados e pouco expectáveis.

Museu Municipal Loulé

As suas criações ensaiam modernizar e globalizar este instrumento tradicional da cultura portuguesa, culminando numa arrojada e inovadora confluência musical.

Já na manhã de dia 19, prossegue o encontro com uma intervenção de um dos grandes nomes da atualidade da fotografia em Portugal: José Soudo que vai falar de Carlos Relvas, um dos pioneiros da fotografia no nosso país.

Ainda antes do debate final e encerramento, mais um profissional da fotografia, José Borges, irá falar dos fotógrafos à la minuta.

A partir das 15h00, decorrerão três workshops sobre a temática deste Encontro: Camera Obscura, pelo fotógrafo artesanal João Barrinha (Cerca do Convento), Clanotipia, pelo artista plástico Miguel Cheta (Sala Serviços Educativos), e Pinhole, pelo fotógrafo Jorge Graça (CECAL).

A inscrição no encontro e nos workshops é gratuita mas obrigatória através do telefone 289400611 ou serviços.educativos@cm-loule.pt ou museu@cm-loule.pt.

A juntar ao programa, pela cidade decorrerão interações de rua, nomeadamente a exposição de fotografias antigas de Loulé em diversos pontos, uma sessão de fotografia “à la minuta” na Praça da República e uma camera obscura, na Cerca do Convento Espírito Santo.

Já em Albufeira, haverá entradas gratuitas no Museu Municipal de Arqueologia, das 9h30 às 17h30, e um programa variado de atividades para toda a família.

A 19 de Maio – Noite dos Museus – as entradas voltam a ser gratuitas. Neste dia, além do horário normal de
funcionamento, o Museu vai estar aberto entre as 20h00 e as 24h00.

Além da visita ao espólio, que permite conhecer a história de Albufeira desde as suas origens mais remotas até
ao século XVII, o público infantil e juvenil poderá usufruir de um programa preparado para este dia.

Há espetáculo de marionetas, entre as 20h20 e as 21h00, e logo de seguida (a partir das 21h15) realiza-se o Workshop “Criação de Marionetas – Objetos Animados”, que se irá prolongar até às 23h15.

Para mais informações e esclarecimentos, contactar o Museu Municipal de Arqueologia, entre as 9h30 e as 17h30,
através do telefone: 289 599 508, ou do email: sed@cm-albufeira.pt

Em Portimão, haverá entrada gratuita no Museu e todos os visitantes vão ser convidados a testar a nova aplicação que será apresentada no dia seguinte, no âmbito do 10º aniversário. O Museu de Portimão também vai inaugurar a exposição “Gentes da Terra e do Mar” e assinalar a Noite Europeia dos Museus. 

Desde 1977, por proposta do ICOM – Conselho Internacional de Museus (organismo da UNESCO), o Dia Internacional dos Museus é celebrado, todos os anos, a 18 de Maio. O ICOM seleciona o tema do Dia Internacional dos Museus, coma escolha a ser feita a partir de assuntos que estão no centro das preocupações da sociedade.

Hiperconetividade é um termo criado em 2001 para designar as múltiplas formas de comunicação dos nossos dias, tais como contacto pessoal (face-to-face), correio electrónico, mensagens instantâneas, telefone ou Internet. Esta rede global de conexões torna-se a cada dia mais complexa, diversa e integrada. No mundo hiperconectado de hoje os museus juntam-se a esta nova tendência.  Esta é a razão pela qual o Conselho Internacional de Museus (ICOM) escolheu o tema “Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos” para o Dia Internacional dos Museus 2018.

Comentários

pub
pub