pub
Imprimir

“Video Lucem” ruma a Silves para dois cine-concertos especiais e uma surpresa

Foto: Elisabete Rodrigues | Sul Informação

As duas curtas-metragens falam sobre «a sinfonia das cidades» (Nice e Porto, neste caso) e vão ser musicadas por quem lá nasceu ou lá vive. “À propos de Nice” e “Douro, Faina Fluvial” vão ser exibidas já amanhã, 6 de Abril, às 21h30, na Sé de Silves, numa sessão especial. O novo cine-concerto do “Video Lucem” comemora o 62º aniversário do Cineclube de Faro e, por isso, haverá uma surpresa.

Carlos Rafael Lopes, diretor do emblemático Cineclube, explicou ao Sul Informação que, «na década de 30, houve alguns realizadores que fizeram filmes à volta da ideia de sinfonia das cidades».

O “Video Lucem”, organizado pelo Cineclube e que faz parte do “365Algarve”, quis pegar nisto e programou esta sessão dedicada a essa «representação cinematográfica das cidades e de eventos que lhes são associados». E, para tal, nada melhor do que ter, no acompanhamento musical dos filmes, duas pessoas relacionadas com Nice e o Porto.

Viviane até mora no Algarve desde jovem, mas foi na cidade do Sul de França que nasceu. Já Ana Deus não nasceu no Porto, mas é lá que vive há vários anos. Ambas são as convidadas desta sessão.

«Eu tenho muitas afinidades com aquela cidade. Nasci lá e inspirei-me em muitas coisas, como recordações pessoais, para musicar a curta-metragem», confessou, ao Sul Informação, a cantora Viviane.

Em “À propos de Nice”, de 1930, o realizador Jean Vigo dá a conhecer as vivências veraneantes da cidade de Nice numa ligação também ao Algarve, que, ainda assim, só surgiu como região turística mais tarde.

Viviane, acompanhada pela guitarra de Tó Viegas, vai dar som a essas caraterísticas da cidade que a viu nascer.

«Vamos ter partes só de instrumental, outras cantadas. Algumas das músicas são conhecidas, outras são feitas de propósito. É um grande desafio participar neste projeto», referiu ao nosso jornal.

A outra curta a exibir será “Douro, Faina Fluvial”, de 1931, da autoria de Manoel de Oliveira. A escolha não foi, de todo, inocente. É que este foi o primeiro filme de sempre que o Cineclube de Faro exibiu…e também o primeiro do realizador. 62 anos depois, voltará a fazê-lo e, desta vez, com a voz de Ana Deus a acompanhar.

Mas esta sessão não se fica por aqui. Carlos Rafael Lopes, sem querer destapar muito o véu, revelou ao nosso jornal que haverá uma «surpresa», em princípio relacionada com imagens antigas do Algarve e com o próprio Cineclube.

Por isso, já sabe, para descobrir esta preciosidade, tem que ir à Sé de Silves, um dos mais emblemáticos monumentos do Algarve, que, por uma noite, se vai transformar em sala de cinema.

«Era muito bonito termos a igreja cheia e acreditamos que vai estar. Os músicos e os filmes dispensam apresentações», conclui Carlos Rafael. A entrada é livre.

Comentários

pub