pub
Imprimir

São Brás avança com obras na rua Gago Coutinho para revitalizar o Centro Histórico

A Rua Gago Coutinho, em São Brás de Alportel, vai ser requalificada, integrando o Plano de Revitalização do Centro Histórico daquela vila. 

Esta obra faz parte do conjunto de investimentos do município no âmbito Plano de Ação de Regeneração Urbana (PARU).

No fundo, a intervenção quer aumentar as áreas pedonais acessíveis, dotar o espaço de novo mobiliário urbano, ordenar o estacionamento automóvel e enterrar os cabos elétricos, «devolvendo à rua a sua identidade», diz a Câmara Municipal.

Esta intervenção envolve um investimento total de cerca de 119 mil euros, acrescidos de IVA, com um financiamento comunitário na ordem dos 65%. A valorização e renovação deste arruamento que leva as pessoas desde o Largo de São Sebastião até ao coração do burgo antigo da vila é o objetivo principal da intervenção.

O contrato de adjudicação da obra à empresa Construções Pedra Vidraça Algarvia Lda. foi assinado no dia 11 de Abril e os trabalhos deverão arrancar já no próximo dia 23.

Já no passado dia 9, decorreu uma sessão pública informativa que contou com a participação de residentes e comerciantes, para apresentação do projeto e esclarecimento de dúvidas na sua execução, bem como recolha e partilha de sugestões para as melhores soluções para minorar os impactos no período do decurso da obra.

Os trabalhos incluem a remodelação da rede de drenagem de pluviais com localização de novos sumidouros e melhoramento das redes existentes, a substituição dos lancis existentes e a instalação de sinalização horizontal e vertical.

No espírito do plano “São Brás Acessível para todos”, esta requalificação permitirá tornar acessível esta rua a todas as pessoas que se deslocam com mobilidade condicionada, mediante a eliminação de barreiras arquitetónicas e a execução de todos os pavimentos de nível.

A faixa de rodagem será em calçada, mantendo as características do Centro Histórico, enquanto que os passeios serão rebaixados, em calçada miúda com um circuito em laje de pedra totalmente acessível, e em sintonia com os trabalhos já realizados no Largo de São Sebastião.

«A mesma sensibilidade motivou a projeção da instalação de todo o mobiliário urbano no mesmo alinhamento. A largura livre será sempre superior a 1,50 metros», diz a autarquia.

Esta rua foi conhecida como Rua São Sebastião até 1922, ano em que recebeu o nome de Gago Coutinho em homenagem ao navegador aéreo de origens são-brasenses que juntamente com o aviador Sacadura Cabral alcançaram, no hidravião Santa Cruz, o Brasil, naquela que seria primeira travessia aérea do Atlântico Sul.

A autoria do projeto cabe à arquiteta paisagista Amélia Santos, que, em continuidade com a intervenção no Largo de São Sebastião, de modo a valorizar o património cultural imaterial, nomeadamente a Procissão de Aleluia, eterniza a festa rainha da terra em forma de calçada artística, que se pode apreciar no local.

O projeto de Requalificação do Largo de São Sebastião contempla ainda uma terceira fase que será executada posteriormente e que consiste na requalificação do Quarteirão Sul da Avenida da Liberdade.

Comentários

pub