Eurocidade do Guadiana já tem personalidade jurídica para concorrer a fundos comunitários

A Eurocidade do Guadiana, constituída pelos municípios de Vila Real de Santo António e Castro Marim, do lado português, e […]

Conceição Cabrita, presidente da Câmara de Vila Real de Santo António
Foto: Fabiana Saboya|Sul Informação

A Eurocidade do Guadiana, constituída pelos municípios de Vila Real de Santo António e Castro Marim, do lado português, e Ayamonte, do lado espanhol, «já tem número de identificação fiscal internacional, já tem personalidade jurídica, para poder concorrer a fundos comunitários», revelou Conceição Cabrita, presidente da Câmara de VRSA, que amanhã assume o comando da Eurocidade.

Em entrevista ao Sul Informação, a autarca acrescentou que «agora vamos começar a trabalhar mais concretamente para vender a Eurocidade como uma região».

Conceição Cabrita, enquanto presidente da Câmara de Vila Real de Santo António, assume amanhã a presidência da Eurocidade do Guadiana.

Nessa cerimónia, marcada para as 11h00 no Salão Nobre da Câmara Municipal da cidade pombalina e contando ainda com a presença de Francisco Amaral, presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, e Alberto Fernandez Rodriguez, alcalde de Ayamonte, será apresentado o Plano Estratégico da Eurocidade.

Mas a autarca, na sua entrevista de hoje ao nosso jornal, foi já levantando a ponta do véu sobre esse plano.

«Em Vila Real, sempre tivemos um contacto muito estreito com Ayamonte, mas nunca houve a formalização desta parceria». Até agora, salientou Conceição Cabrita, a parceria «era só de boca, um bocado de poesia, muito bonito, mas sem consequências. Uma atividade pagava a Câmara de Ayamonte, outra a Câmara de Castro Marim, outra a de Vila Real».

A partir de agora, explicou, a parceria poderá ser mais formal, permitindo à Eurocidade afirmar-se como eurorregião, a exemplo de Valença/Tui, bem como candidatar-se a fundos comunitários, para projetos conjuntos.

A personalidade jurídica da Eurocidade do Guadiana permitirá ainda ter uma «estrutura mais organizada, com funcionários adstritos à Eurocidade». A «sede física em princípio será em Ayamonte», acrescentou.

Os projetos conjuntos, permitirão «por exemplo rentabilizar custos», ou servirão «para tratarmos de forma igual o Guadiana». O grande rio do Sul é, aliás, o traço de união desta eurorregião: «o Guadiana é um dos aspetos importantes que queremos trabalhar, para desenvolver mais as suas potencialidades».

Outro aspeto importante será a criação de uma «marca turística comum, com o melhor de cada um destes municípios». «Já apresentámos quer na Fitur, quer na BTL, a Eurocidade como uma eurorregião», concluiu Conceição Cabrita, na sua entrevista ao Sul Informação.

Comentários

pub
pub