Acesso Cultura promove debate sobre «Podem as organizações culturais fazer Política? Devem?»

«Podem as organizações culturais fazer Política? Devem?» Este é o tema do próximo debate da Acesso Cultura, que se realiza […]

Museu do Trajo

«Podem as organizações culturais fazer Política? Devem?» Este é o tema do próximo debate da Acesso Cultura, que se realiza amanhã, dia 17 de Abril, terça, às 18h30, com sessões simultâneas em São Brás de Alportel, Évora, Funchal, Lisboa, Porto e Vila Nova de Famalicão.

Este debate, com entrada livre, terá lugar no Museu do Traje de São Brás de Alportel e conta, como convidados, com Elisabete Rodrigues, jornalista e diretora do Sul Informação, Gil Silva, diretor do Teatro das Figuras, Paulo Penisga, professor e Rui Parreira, arqueólogo. Emanuel Sancho, diretor do Museu do Traje será o moderador.

«Podem as organizações culturais fazer política? Devem? A questão poderia também ser colocada desta forma: Podem as organizações culturais ser neutras? Devem? Nos casos em que se defende a neutralidade, parece existir alguma confusão em relação ao que se entende por “político” (e por “partidário”). Existe ainda alguma preocupação em relação à possibilidade de alienar parte do público por defender determinadas posições políticas», explica a Acesso Cultura.

Por outro lado, «há cada vez mais organizações culturais a querer assumir as suas responsabilidades naquilo que é o pensamento, o debate e a prática no âmbito da nossa vida em comum na cidade (pólis) e no mundo. Alguns vêem nisto uma obrigação; outros, um certo oportunismo. As tutelas nem sempre se sentem confortáveis».

Por isso, os convidados para este debate irão ainda falar sobre estas questões: «Quais os riscos para as organizações culturais ao tomarem uma ou outra posição? Quais as expectativas dos cidadãos?»

 

Convidados nas seis cidades:

ÉVORA, Direção Regional de Cultura (Rua de Burgos)
Com: António Guerreiro, Ensaísta e crítico literário; José Alberto Ferreira, Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida; Marcial Rodrigues, Grupo Pro-Évora; Ana Cristina Pais, Direção Regional de Cultura do Alentejo (moderadora)

FUNCHAL, Sede do Dançando com a Diferença (Rua dos Barcelos nº 09 – Santo António)
Com: Ester Vieira, ATEF, Companhia de Teatro e Oficina Versus Teatro; Maurício Reis, Porta 33; Paulo Esteireiro, Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical; Filipe Gonçalves, Jornalista (moderador)

LISBOA, Fundação José Saramago
Com: António Pinto Ribeiro, investigador, programador cultural; Emília Ferreira, Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado; João Alpuim Botelho, Museu Bordalo Pinheiro; Mark Deputter, Culturgest; Maria Vlachou, Gestão e Comunicação Cultural (moderadora)
Tradução em Língua Gestual Portuguesa: Cidália de Jesus (uma colaboração com a Escola Superior de Educação de Setúbal)

PORTO, Teatro Carlos Alberto
Com: Abel Coentrão, Bind’Ó Peixe – Associação Cultural; Ana Luísa Castelo, PELE – espaço de contacto social e cultural; Luiz Humberto Marcos, Museu Nacional da Imprensa; Denise Pollini (Museu de Serralves, moderadora)
Tradução em Língua Gestual Portuguesa: Cláudia Braga (numa parceria com a Associação Laredo)

SÃO BRÁS DE ALPORTEL, Museu do Traje, 18h30
Com: Elisabete Rodrigues, Jornalista; Gil Silva, Teatro das Figuras; Paulo Penisga, Professor; Rui Parreira, Arqueólogo, (Emanuel Sancho, Museu do Traje de São Brás de Alportel (moderador)

VN FAMALICÃO, Galeria Municipal Ala da Frente
Com: Bruno Martins, Teatro da Didascália; Carlos Martins, Programador da Guimarães Capital Europeia da Cultura; Emília Araújo, Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho; Raquel Barbosa, Câmara Municipal de Famalicão (moderadora)

Comentários

pub
pub