pub
Imprimir

Passagem de nível de Olhão abre «às 14h45», um dia e meio depois do prometido

A passagem de nível situada junto à Estação de Olhão continuava fechada na manhã de hoje, sexta-feira, apesar da Infraestruturas de Portugal (IP) ter garantido que reabria ontem, dia 1 de Fevereiro. Uma situação que, como disse ao Sul Informação um porta-voz da empresa, deverá ser desbloqueada esta tarde, tendo em conta que «a licença e as chaves já foram entregues à Câmara», que deverá reabrir o atravessamento às 14h45.

Esta passagem de nível, que faz a ligação entre as avenidas Bernardino da Silva e da República, está fechada desde o início do ano, por a IP não ter renovado, ainda em Dezembro, a licença que permitia que se mantivesse aberta há cerca de dois anos. Entretanto, a empresa e a Câmara chegaram a acordo, tendo sido anunciada a reabertura para o dia de ontem, o que não aconteceu.

Isso levou a Câmara de Olhão a emitir um comunicado, que foi ontem publicado no seu site – entretanto retirado -, onde a autarquia manifestava a sua «surpresa com o não cumprimento, por parte das Infraestruturas de Portugal (IP), do acordo estabelecido no passado dia 23 de Janeiro e que previa a reabertura da passagem de nível no centro da cidade».

Contactado pelo Sul Informação, António Pina confirmou a reabertura da passagem de nível, que está prevista para «hoje, às 14h45». O edil, que se encontra fora do país, disse que, segundo as indicações que tem, a licença e a chave não foram entregues ontem à Câmara, «provavelmente por alguma questão interna da IP».

Quanto à retirada do comunicado do site da Câmara, disse que a decisão foi tomada no seguimento dos esclarecimentos obtidos junto da Infraestruturas de Portugal.

Entretanto, o PSD de Olhão, o principal partido da oposição, tomou uma posição pública em que criticava o encerramento desta passagem.

«Após termos questionado, em várias instâncias, acerca desta situação, o esclarecimento sempre se baseou na suposta ilegalidade da abertura da passagem de nível,que se resolveria com as obras de redução de declive na passagem por baixo do túnel, prometidas há mais de dois anos e nunca realizadas», disseram os social-democratas.

Mas, «iniciado o mês de Fevereiro, nenhum avanço se verifica. Nem obras, nem reabertura da passagem, nada». O PSD acrescentou que o que se mantém são «as dificuldades daqueles que, com mobilidade reduzida, com carrinhos de bebé e com dificuldades de outros tipos, não conseguem fazer as suas deslocações normais com recurso ao acesso alternativo».

Este problema, ao que tudo indica, terá resolução breve. Ainda assim, esta manhã, como o nosso jornal verificou no local, ainda foram muitos os que tiveram de fazer ginástica para atravessar a linha.

Comentários

pub