Sindicato dos Enfermeiros vai propor soluções para as dificuldades do Hospital de Faro

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) reuniu-se com os enfermeiros do Hospital de Faro, esta quarta-feira, para «falar das dificuldades […]

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) reuniu-se com os enfermeiros do Hospital de Faro, esta quarta-feira, para «falar das dificuldades sentidas e, mais importante, discutir propostas de solução». Os sindicalistas vão, agora, elaborar um documento para apresentar ao Conselho de Administração (CA) do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA), «com pedido de reunião».

Segundo o SEP, do encontro com os seus representados também saiu «a possibilidade de ser promovido um debate envolvendo todos os parceiros, incluindo as autarquias, com o objetivo de poderem vir a ser decididas as necessárias respostas integradas».

Numa altura em que a administração dos hospitais algarvios está a reforçar as suas equipas, os sindicalistas lembram que isto aconteceu no seguimento de uma reunião que mantiveram com o CHUA, no ano passado.

Nesse encontro, o sindicato «reivindicou entrada imediata de enfermeiros e um aumento do mapa de pessoal para 1800 enfermeiros, cuja proposta o CA considerou adequada».

Pouco depois, foi aberto o procedimento para a contratação de 96 enfermeiros, que, como o Sul Informação adiantou esta quarta-feira, se encontra em processo de autorização.

Esse procedimento já começou a dar frutos, tendo em conta que «hoje iniciaram funções dois enfermeiros» no Hospital de Faro, segundo revelaram os representantes sindicais desta classe profissional.

«Estão também a ser solicitados contratos de substituição para licenças/ausências de longa duração, tal como o SEP também reivindicava, porque, durante um período, este procedimento não estava a ser realizado», acrescentou.

Apesar destas vitórias, os sindicalistas consideram «inaceitável que não tenham sido autorizados enfermeiros para fazer face ao aumento da afluência de doentes ao hospital, ao abrigo da contingência da gripe, obrigando à mobilidade interna de enfermeiros, colocando em causa o regular funcionamento dos restantes serviços».

«O SEP exige que o Ministério das Finanças autorize rapidamente o número de contratos já propostos e espera que o CA venha a propor um plano de admissão ao Ministério da Saúde de mais 308 enfermeiros», concluiu o sindicato.

Comentários

pub
pub