Passagem de nível volta a fechar em Olhão, mas alternativa ainda é “miragem”

A passagem de nível junto à estação de Caminhos de Ferro de Olhão voltou a fechar. A empresa Infraestruturas de […]

A passagem de nível junto à estação de Caminhos de Ferro de Olhão voltou a fechar. A empresa Infraestruturas de Portugal (IP), que há dois anos concedeu à Câmara olhanense uma licença extraordinária para manter aberto este atravessamento da linha, não renovou a autorização e as cancelas tiveram mesmo de fechar.

Entretanto, era suposto ter sido criada uma alternativa, no túnel sob a linha férrea, que liga as avenidas Bernardino da Silva e da República, mas esse projeto continua… em projeto. Contactado pelo Sul Informação, o presidente da Câmara António Pina diz que o avanço das obras «está preso por detalhes» e diz esperar lançar o concurso público para a execução da intervenção «em Março».

«Temos o projeto praticamente pronto. Tem andado a ser adiado para que sejam realizados ajustes técnicos», resumiu António Pina.

A solução encontrada pela autarquia olhanense passa por elevar a cota dos passeios que ladeiam a estrada, dentro do túnel, de modo a reduzir substancialmente o declive da passagem, solução que já havia sido apresentada durante uma sessão pública de esclarecimento promovida pela Câmara de Olhão, a que o Sul Informação assistiu, em Dezembro de 2014.

O caráter temporário da passagem de nível foi, de resto, assumido desde o início pela IP, a empresa de capitais públicos que gere a ferrovia e as estradas portuguesas. Este atravessamento chegou mesmo a ser fechado definitivamente, mas protestos da população e da autarquia levaram a IP a ceder e a reabri-lo em Outubro de 2015, ainda que com caráter de exceção e com algumas condicionantes.

Na altura, foi anunciada uma intervenção no túnel, nomeadamente na passagem pedonal que ali existe, para o tornar numa verdadeira alternativa à passagem de nível. Em causa, o acentuado declive da via inferior, que torna muito difícil – ou mesmo impraticável – a sua utilização por pessoas com mobilidade reduzida e com carrinhos de bebé.

Mas, passados mais de dois anos, ainda não há obra. Desde 31 de Dezembro de 2017, também deixou de haver licença extraordinária…e a passagem de nível fechou.

«Recebemos um ofício da Infraestruturas de Portugal a dizer que tinha expirado o prazo da licença extraordinária no último dia de 2017 e que a passagem tinha de fechar. Lamentamos que isto tenha sido feito de forma unilateral, sem terem conversado connosco», contou António Pina.

O presidente da Câmara de Olhão diz crer que a decisão de fechar, novamente, a passagem, «não será a posição do Conselho de Administração da IP e do seu presidente» e que o ofício será um ato administrativo «de algum serviço» da empresa.

Tudo isso será tirado a limpo amanhã, quarta-feira, numa reunião que a Câmara de Olhão irá manter com os responsáveis pela empresa pública. «O encontro é relativo à eletrificação da linha férrea, mas nós vamos lançar esse assunto. Até agora houve bom senso da administração, à espera que a obra avance. Penso que agora, mostrando que estamos prestes a lançá-la, será possível obter nova licença», acredita o autarca.

Enquanto isso não acontece, os muitos olhanenses que por ali passam diariamente, a pé e de bicicleta, terão de fazer “ginástica” para passar…e pôr a sua segurança em perigo, se o fizerem. Já os que se deslocam em cadeira de rodas ou que não têm a agilidade necessária para passar entre as barras da cancela ou por cima dela, terão mesmo de passar no túnel ou voltar para trás.

 

Fotos: Hugo Rodrigues|Sul Informação

Comentários

pub
pub