pub
Imprimir

Câmaras de São Brás e de Loulé apresentam voto de pesar pela morte de José Rosa Pinto

As Câmaras Municipais de São Brás de Alportel e de Loulé apresentaram um voto de pesar pela morte do Coronel José Manuel Rosa Pinto, botânico e naturalista falecido na passada sexta-feira.

A Câmara de São Brás de Alportel aprovou mesmo, em reunião realizada esta quarta-feira, dia 10 de Janeiro, um voto de pesar pelo falecimento daquela que a autarquia condiera como uma «personalidade ímpar na região para o conhecimento do património natural e da botânica em particular, valor a que se somam as suas qualidades enquanto Ser Humano excecional».

«O seu falecimento inesperado deixa consternação e pesar, ao qual o Município de São Brás de Alportel se associa e estende à família enlutada».

A autarquia recorda que José Rosa Pinto «colaborou em diversos momentos com o Município de São Brás de Alportel desde 2004, como é o caso dos projetos dos primeiros percursos pedestres implementados no concelho, passeios do Ciclo Passeios de Natureza, na Quinta do Peral e no passeio inaugural da Estação de Biodiversidade da Ribeira do Alportel».

«Os seus vastos conhecimentos, o seu contentamento em estar no meio da natureza e a sua simpatia pessoal deixaram marcas naqueles que tiveram o privilégio de estar com o Coronel José Manuel Rosa Pinto», conclui a autarquia.

José Rosa Pinto, à esquerda, na exposição do Herbário da UAlg em Loulé

No voto de pesar aprovado, a Câmara Municipal de São Brás salienta que «a comunidade botânica portuguesa ficou mais pobre com o falecimento deste benemérito, um amador que se tornou no grande mestre da botânica no Algarve. Com o seu amor à botânica e a sua intrínseca generosidade em partilhar, deixou um legado que permanecerá durante décadas, não só no herbário da Universidade do Algarve, onde deixou todo o seu material, ou no Flora-On, ao qual disponibilizou os seus dados, mas também no conhecimento e exemplo que transmitiu a todos aqueles que um dia tiveram o privilégio de fazer uma saída de campo na sua companhia».

Por seu lado, a Câmara Municipal de Loulé recorda que, entre as inúmeras instituições do Algarve com as quais José Rosa Pinto colaborou, «conta-se também a Autarquia de Loulé, prestando uma inestimável colaboração na identificação de espécies da flora e da vegetação do concelho, em particular das Paisagens Protegidas Locais da Rocha da Pena e da Fonte Benémola».

Além disso, o malogrado botânico, que era militar de carreira, «colaborou ainda em atividades a título individual (como guia em diversas visitas e passeios interpretativos promovidos pela Autarquia), bem como em iniciativas organizadas em parceria com a Universidade do Algarve (nomeadamente nas Jornadas de Botânica e Flora do Algarve e exposição do herbário ALGU ao vivo, que aconteceram em 2017)».

«Tendo testemunhado o seu elevado valor científico e pedagógico, bem como as suas qualidades humanas e éticas, partilhando generosamente todo o seu saber de forma apaixonada e altruísta, a Câmara Municipal de Loulé regista o seu muito obrigado ao Coronel José Manuel Rosa Pinto».

Comentários

pub