pub
Imprimir

Jovens de São Brás consulturam “Biblioteca Humana” com «livros de carne e osso»

A 1ª edição da “Biblioteca Humana” de São Brás de Alportel realizou-se no dia 27 de Novembro e uma turma do 9º ano, da Escola Básica 2,3 Poeta Bernardo de Passos, consultou «livros de carne e osso, com histórias vividas na primeira pessoa».

Esta iniciativa aconteceu na Biblioteca daquela escola e foi desenvolvida no âmbito do projeto “Cria+” do programa “Escolhas” que está a ser desenvolvido em parceria pela associação In Loco, Câmara Municipal de São Brás de Alportel e Agrupamento de Escolas José Belchior Viegas.

A dinamização desta “Biblioteca Humana” «pretende promover o diálogo, reduzir preconceitos e estimular a compreensão, permitindo aos jovens participantes o contacto com livros que são pessoas reais, voluntárias, capazes de comunicar a sua realidade pessoal a “viva voz”, que pode estar relacionada com diversas problemáticas como a ansiedade, os distúrbios alimentares, os consumos ou até a transexualidade», explica a Câmara de São Brás.

Por isso esta é «uma oportunidade diferente de aprendizagem e sensibilização sobre a importância dos direitos humanos para o bem-estar pessoal de todos. A “leitura” destes “livros humanos” é feita num ambiente aberto, acolhedor e seguro, com um ou mais leitores interessados».

O conceito da Biblioteca Humana nasceu na Dinamarca em 2000 através da Organização Não Governamental “Parar a Violência” que, com a iniciativa, procurou ajudar a quebrar estereótipos e a desafiar atitudes sobre a diferença, visando o entendimento entre os diversos membros de uma comunidade.

Já são mais de 60 os países com experiências deste tipo, passando agora São Brás de Alportel a integrar esta rota.

 

Comentários

pub