Vítor Guerreiro anuncia compromisso do Governo para requalificar troço da EN2 «até ao fim da legislatura» 

Vítor Guerreiro, presidente da Câmara de São Brás de Alportel, anunciou, esta segunda-feira, 23 de Outubro, na tomada de posse […]

Vítor Guerreiro, presidente da Câmara de São Brás de Alportel, anunciou, esta segunda-feira, 23 de Outubro, na tomada de posse para novo mandato autárquico, que tem o compromisso, da parte do Governo, de que a requalificação do troço da EN2 que liga São Brás de Alportel à Via do Infante (A22) é «para executar até ao fim da legislatura». 

De acordo com o edil socialista, a garantia foi dada por Pedro Marques, ministro do Planeamento e Infraestruturas, e será «para colocar em Orçamento de Estado no próximo ano».

Esta obra é um desejo antigo, sendo «fundamental para São Brás», pois ajuda a «captar investimento para o concelho», acrescentou.

«Estamos próximos de Faro e do Aeroporto, mas temos seis quilómetros de curvas, com um traçado que tem mais de 50 anos, que não se compreende», considerou Vítor Guerreiro. A ideia é, assim, que se siga um plano sugerido pela própria autarquia.

As obras incluem a requalificação do traçado atual, fazendo uma faixa de lentos antes e depois do sítio dos Machados, mas também uma rotunda, no atual cruzamento para São Brás de Alportel e Estoi, cujo concurso para construção já foi lançado.

Nesta tomada de posse para o mandato 2017-2021, que começou com um minuto de silêncio em memória das vítimas dos incêndios no Centro e Norte do país, o presidente da Câmara de São Brás anunciou também o «compromisso de prioridade e reforço à Proteção Civil», num concelho que, ainda em 2012, foi assolado pelo drama dos incêndios.

«Vamos continuar com todos os investimentos necessários na defesa da floresta e na segurança das nossas populações», disse, aludindo ao processo, já em curso, de constituição de mais duas Zonas de Intervenção Florestal.

Um dos objetivos deste compromisso é também a «constituição de uma equipa de Sapadores Florestais», para a qual até já há equipamento e viatura.

E os projetos não se ficam por aqui. «Estamos a lutar pela criação de uma barragem de grande dimensão e a criação de uma estação de biomassa, que vai possibilitar a limpeza da floresta», acrescentou.

Quanto ao projeto da barragem, a situar-se no Monte da Ribeira, é «determinante na preparação de combate a incêndios, na alimentação dos aquíferos subterrâneos, na rega, mas também em termos turísticos», considerou.

A ideia é colocar o assunto «na ordem do dia», uma vez que o projeto já existe desde 1982. «Já tive uma reunião com o secretário de Estado das Florestas nesse sentido», disse Vítor Guerreiro.

É que, para o edil, «a serra do Caldeirão é o nosso pulmão: um tesouro que temos de defender e valorizar com uma  estratégia de atratividade das pessoas e de investimento».

Todo o executivo

No seu discurso de tomada de posse, Vítor Guerreiro disse que a Carta Social e o projeto “Acessibilidades para todos” vão ser fundamentais «no percurso deste mandato». Também a educação e o «apoio às famílias» serão a «base do trabalho autárquico», até porque esse é o «investimento mais importante na construção do futuro».

O presidente da Câmara também anunciou que vai «fortalecer as parcerias com associações e entidades locais, tendo como horizonte o desenvolvimento da nossa terra».

Quanto ao programa de valorização dos monumentos «é fundamental» prossegui-lo, «a par de estratégias de promoção turística». «Vamos continuar a investir nas infraestruturas desportivas e na mobilidade inclusiva», acrescentou.

No fundo, o objetivo é apostar em «áreas que são essenciais para a qualidade de vida da população». Por isso surgem, ainda, como prioridades embelezar os espaços verdes ou apostar na maior qualidade de oferta para atividades extracurriculares.

Quanto a obras, além da anunciada na EN2, Vítor Guerreiro, em conversa com os jornalistas após a tomada de posse, enunciou o projeto de requalificação da Avenida da Liberdade e da rua Gago Goutinho, a criação de uma estrada principal que vai ligar São Brás à zona serrana (do Bico Alto a Cabeça do Velho), e uma ligação no Sítio dos Juncais, perto do Alportel, ao Almarjão, já no concelho de Loulé.

Ainda assim, Vítor Guerreiro, com os olhos na plateia que encheu o Cineteatro São Brás de Alportel, fez questão de dizer que «um sorriso num rosto de um sãobrasense é sempre a obra mais importante». «As pessoas estarão sempre no centro das decisões mais importantes. Defendo, sempre, uma política de proximidade, partilha e diálogo».

Na cerimónia, que contou com um momento musical a cargo de Tuula Kähkönnen, tomaram posse como vereadores Marlene Guerreiro (PS), Bruno Sousa Costa (coligação São Brás de Alportel Primeiro – PPD/PSD, CDS-PP; MPT e PPM), Acácio Martins (PS) e David Gonçalves, também PS.

O Partido Socialista tem, por isso, a maioria na Câmara Municipal, mas Vítor Guerreiro considerou que «os diferendos partidários acabaram a 1 de Outubro. Eis o momento para criar pontes de entendimento para um trabalho sério que defenda os reais interesses e necessidades de São Brás de Alportel e dos sãobrasenses».

«Vou exercer a liderança da Câmara Municipal com espírito de diálogo e cooperação com todos os membros eleitos», acrescentou.

Na Assembleia Municipal também não houve novidades: Ulisses Brito (PS) foi reempossado, com 9 votos a favor e 6 brancos.

Em jeito de conclusão, Vítor Guerreiro concluiu: «o compromisso que assumo é defender sempre os superiores interesses do nosso concelho e das nossas gentes junto do Governo e das entidades competentes, independentemente das cores políticas. Com esta grande equipa, vamos transformar dificuldades em novas oportunidades».

 

Fotos: Pedro Lemos | Sul Informação

 

Comentários

pub
pub