pub
Imprimir

Vítor Guerreiro anuncia compromisso do Governo para requalificar troço da EN2 «até ao fim da legislatura» 

Vítor Guerreiro, presidente da Câmara de São Brás de Alportel, anunciou, esta segunda-feira, 23 de Outubro, na tomada de posse para novo mandato autárquico, que tem o compromisso, da parte do Governo, de que a requalificação do troço da EN2 que liga São Brás de Alportel à Via do Infante (A22) é «para executar até ao fim da legislatura». 

De acordo com o edil socialista, a garantia foi dada por Pedro Marques, ministro do Planeamento e Infraestruturas, e será «para colocar em Orçamento de Estado no próximo ano».

Esta obra é um desejo antigo, sendo «fundamental para São Brás», pois ajuda a «captar investimento para o concelho», acrescentou.

«Estamos próximos de Faro e do Aeroporto, mas temos seis quilómetros de curvas, com um traçado que tem mais de 50 anos, que não se compreende», considerou Vítor Guerreiro. A ideia é, assim, que se siga um plano sugerido pela própria autarquia.

As obras incluem a requalificação do traçado atual, fazendo uma faixa de lentos antes e depois do sítio dos Machados, mas também uma rotunda, no atual cruzamento para São Brás de Alportel e Estoi, cujo concurso para construção já foi lançado.

Nesta tomada de posse para o mandato 2017-2021, que começou com um minuto de silêncio em memória das vítimas dos incêndios no Centro e Norte do país, o presidente da Câmara de São Brás anunciou também o «compromisso de prioridade e reforço à Proteção Civil», num concelho que, ainda em 2012, foi assolado pelo drama dos incêndios.

«Vamos continuar com todos os investimentos necessários na defesa da floresta e na segurança das nossas populações», disse, aludindo ao processo, já em curso, de constituição de mais duas Zonas de Intervenção Florestal.

Um dos objetivos deste compromisso é também a «constituição de uma equipa de Sapadores Florestais», para a qual até já há equipamento e viatura.

E os projetos não se ficam por aqui. «Estamos a lutar pela criação de uma barragem de grande dimensão e a criação de uma estação de biomassa, que vai possibilitar a limpeza da floresta», acrescentou.

Quanto ao projeto da barragem, a situar-se no Monte da Ribeira, é «determinante na preparação de combate a incêndios, na alimentação dos aquíferos subterrâneos, na rega, mas também em termos turísticos», considerou.

A ideia é colocar o assunto «na ordem do dia», uma vez que o projeto já existe desde 1982. «Já tive uma reunião com o secretário de Estado das Florestas nesse sentido», disse Vítor Guerreiro.

É que, para o edil, «a serra do Caldeirão é o nosso pulmão: um tesouro que temos de defender e valorizar com uma  estratégia de atratividade das pessoas e de investimento».

Todo o executivo

No seu discurso de tomada de posse, Vítor Guerreiro disse que a Carta Social e o projeto “Acessibilidades para todos” vão ser fundamentais «no percurso deste mandato». Também a educação e o «apoio às famílias» serão a «base do trabalho autárquico», até porque esse é o «investimento mais importante na construção do futuro».

O presidente da Câmara também anunciou que vai «fortalecer as parcerias com associações e entidades locais, tendo como horizonte o desenvolvimento da nossa terra».

Quanto ao programa de valorização dos monumentos «é fundamental» prossegui-lo, «a par de estratégias de promoção turística». «Vamos continuar a investir nas infraestruturas desportivas e na mobilidade inclusiva», acrescentou.

No fundo, o objetivo é apostar em «áreas que são essenciais para a qualidade de vida da população». Por isso surgem, ainda, como prioridades embelezar os espaços verdes ou apostar na maior qualidade de oferta para atividades extracurriculares.

Quanto a obras, além da anunciada na EN2, Vítor Guerreiro, em conversa com os jornalistas após a tomada de posse, enunciou o projeto de requalificação da Avenida da Liberdade e da rua Gago Goutinho, a criação de uma estrada principal que vai ligar São Brás à zona serrana (do Bico Alto a Cabeça do Velho), e uma ligação no Sítio dos Juncais, perto do Alportel, ao Almarjão, já no concelho de Loulé.

Ainda assim, Vítor Guerreiro, com os olhos na plateia que encheu o Cineteatro São Brás de Alportel, fez questão de dizer que «um sorriso num rosto de um sãobrasense é sempre a obra mais importante». «As pessoas estarão sempre no centro das decisões mais importantes. Defendo, sempre, uma política de proximidade, partilha e diálogo».

Na cerimónia, que contou com um momento musical a cargo de Tuula Kähkönnen, tomaram posse como vereadores Marlene Guerreiro (PS), Bruno Sousa Costa (coligação São Brás de Alportel Primeiro – PPD/PSD, CDS-PP; MPT e PPM), Acácio Martins (PS) e David Gonçalves, também PS.

O Partido Socialista tem, por isso, a maioria na Câmara Municipal, mas Vítor Guerreiro considerou que «os diferendos partidários acabaram a 1 de Outubro. Eis o momento para criar pontes de entendimento para um trabalho sério que defenda os reais interesses e necessidades de São Brás de Alportel e dos sãobrasenses».

«Vou exercer a liderança da Câmara Municipal com espírito de diálogo e cooperação com todos os membros eleitos», acrescentou.

Na Assembleia Municipal também não houve novidades: Ulisses Brito (PS) foi reempossado, com 9 votos a favor e 6 brancos.

Em jeito de conclusão, Vítor Guerreiro concluiu: «o compromisso que assumo é defender sempre os superiores interesses do nosso concelho e das nossas gentes junto do Governo e das entidades competentes, independentemente das cores políticas. Com esta grande equipa, vamos transformar dificuldades em novas oportunidades».

 

Fotos: Pedro Lemos | Sul Informação

 

Comentários

pub