Vai “Um copo de jazz” no Club Farense?

Jazz, tanto com artistas «de craveira nacional» como com músicos algarvios, para ser apreciado enquanto se bebe um (bom) vinho. Isto é […]

Jazz, tanto com artistas «de craveira nacional» como com músicos algarvios, para ser apreciado enquanto se bebe um (bom) vinho. Isto é “Um Copo de Jazz” a ser servido já a partir deste domingo, 8 de Outubro, às 18h00, no Club Farense, em plena rua de Santo António, em Faro.

É que a iniciativa quer assim juntar o melhor de dois mundos, com vinhos preferencialmente algarvios. Para amanhã, a proposta musical passa por André Murraças, no saxofone, e Guilherme Melo, na bateria, naquela que é a primeira edição da rubrica “Zé Eduardo convida”.

O músico é o diretor artístico de “Um Copo de Jazz” e confessou ao Sul Informação estar «muito contente» por fazer parte do evento. «Esta direção do Club Farense é muito ativa, felizmente para a cidade. Eu tenho um certo know how e juntos fazemos uma equipa boa», acrescentou.

Assim, ao segundo e último domingos de cada mês – de Outubro a Maio – haverá sempre “Um Copo de Jazz”, às 18h00. «Esta é uma forma de, em Faro, haver uma oferta diferenciadora num espaço que é nobre», considerou Augusto Miranda, presidente do Club Farense, em entrevista ao nosso jornal.

«Há dois anos fizemos um protocolo com o Ginásio de Tavira e com o Museu de São Brás de Alportel, em que tínhamos jazz ao segundo domingo, mas verificámos que isso não trazia grandes vantagens, nem ajudava à ideia essencial que era trazer cá artistas», conta o responsável.

Assim, o Club Farense decidiu fazer uma iniciativa própria, criando “Um copo de Jazz”. Outros dos concertos a realizarem-se são, por exemplo, no dia 22 de Outubro os “Cool Manouche”, um grupo de jazz manouche e gypsy jazz, ou os “Meersalz”, no dia 12 de Novembro.

Para dia 26 de Novembro fica reservado o concerto de João Coelho (piano) e João Sousa (bateria), acompanhados por Zé Eduardo.

Já no dia 10 de Dezembro está agendada a atuação de um dos primeiros grandes nomes: Mário Delgado, com quem Zé Eduardo já tocou «há quase 20 anos».

E se é verdade que a iniciativa vai durar até Maio, durante a época baixa, por agora apenas se conhece a programação até Dezembro.

Até ao fim do evento a expetativa é ter «sempre sala composta». «Queremos que este copo de jazz se transforme e possamos comprar mais garrafas», disse, entre risos, Augusto Miranda.

O músico Zé Eduardo tem opinião idêntica: «suponho que vai ser um sucesso, uma vez que junta o útil ao agradável».

Ou seja: o vinho à música. A entrada para cada concerto vai ser paga, com os bilhetes a custarem 7 ou 8 euros. Para consultar o programa completo clique aqui.

 

Fotos: Pedro Lemos | Sul Informação

Comentários

pub
pub