pub
Imprimir

Adelino Soares agradece à oposição que o tornou «mais capaz» e anuncia «continuidade»

«Quero agradecer a todos os que me criaram muitas dificuldades nos meus anteriores mandatos. Graças a eles, sou hoje um político muito mais capaz, muito mais seguro», «reconhecido a nível nacional e internacional». O socialista Adelino Soares, que hoje tomou posse para o seu terceiro e último mandato como presidente da Câmara de Vila do Bispo, não dispensou a ironia no seu discurso.

Sem se referir a qualquer projeto dos vários que integravam o seu programa eleitoral, o autarca salientou a «maioria muito expressiva» que lhe foi atribuída nas eleições de 1 de Outubro, mas garantiu que «a responsabilidade dos autarcas é sempre a mesma, quer tenham maioria, quer não tenham».

Prometendo «continuidade», uma «política de proximidade», apoio aos «projetos que visem contribuir para a economia» do concelho, bem como à «estratégia de investigação, valorização do território e do património», com projetos que se prolonguem «para lá dos ciclos eleitorais», Adelino Soares recordou ainda os inúmeros prémios e distinções que o município de Vila do Bispo tem alcançado, a nível nacional.

E, acrescentou, «somos o município com a menor taxa de desemprego do país e o 13º na taxa de transparência, a nível nacional».

O presidente da Câmara reempossado fez ainda referência, muito aplaudida, a uma figura de destaque do concelho, a atleta Joana Schenker, que recentemente se sagrou como a primeira portuguesa a alcançar o título de campeã mundial de bodyboard. Joana Schenker, salientou o autarca, «já disse que o apoio da Câmara de Vila do Bispo foi fundamental para esse seu feito».

A terminar, Adelino Soares sublinhou que, a partir deste dia, será o «presidente de todos» os vilabispenses.

A cerimónia de tomada de posse dos órgãos autárquicos do município de Vila do Bispo, que decorreu esta quinta-feira, dia 19, no Centro Cultural, e que contou com a presença de dois autarcas vizinhos, Joaquina Matos, presidente da Câmara de Lagos, e Nuno Mascarenhas, presidente da Câmara de Sines, começou com a tomada de posse dos membros da Assembleia Municipal.

Só que, em vez de a sessão ser presidida, como é normal, pelo presidente cessante da Assembleia Municipal, neste caso Nuno Amado (que até tinha sido eleito, em 2013, pelo PS, mas que nestas Autárquicas se mudou para a coligação encabeçada pelo PSD), acabou por ter de ser dirigida por Anabela Martins, enquanto «cidadã mais bem posicionada da lista vencedora» das eleições para a AM, ou seja, da lista do PS.

É que Nuno Amado não esteve presente na cerimónia, nem sequer tomou posse hoje (agora enquanto membro eleito pelo PSD/CDS/MPT/PPM), isto apesar de ter sido por sua decisão (enquanto presidente da AM cessante) que a sessão foi marcada para as 11h30, a meio da manhã de um dia de trabalho.

Após a tomada de posse dos deputados municipais e do executivo da Câmara Municipal – constituído por Adelino Soares, Rute Silva, Fernando Santana e Armindo Vicente, todos eleitos pelo PS, e ainda Afonso Nascimento, da coligação PSD/CDS/MPT/PPM – seguiu-se a primeira sessão da Assembleia Municipal, para a eleição da sua mesa. Anabela Martins, do PS, foi eleita sem qualquer dificuldade como presidente.

 

Fotos: Elisabete Rodrigues|Sul Informação

Comentários

pub