pub
Imprimir

«Startup Portimão» é espaço para concretizar os sonhos dos empreendedores

Uma empresa inovadora ligada à imagem e outra na área das energias renováveis. Estas deverão ser as primeiras habitantes da nova incubadora de empresas «Startup Portimão», que esta quinta-feira, 10 de Agosto, abriu oficialmente as suas portas, no Autódromo Internacional do Algarve.

Ao todo, em dois pisos do complexo do circuito, foram criadas 12 salas, aqui denominadas boxes (remetendo para os termos habituais no mundo do automobilismo), com capacidade para 40 postos de trabalho. «As empresas podem ficar numa box só com a sua empresa ou partilhá-la com outros empreendedores e outros empresários», revelou aos jornalistas Luís Matos Martins, da empresa Territórios Criativos, um dos três parceiros desta que é a primeira incubadora de startups do Barlavento Algarvio.

Para já, a incubadora ainda está a dar os primeiros passos, mas se, no futuro, vier a ser necessário mais espaço, «há essa possibilidade de expansão», garantiu aquele responsável.

Esta estrutura para acolher jovens empresas será direcionada para as “cidades inteligentes” (smart cities), nas áreas da energia, mobilidade, turismo, governança e qualidade de vida. Mas, anunciou, «nenhum negócio será rejeitado», mesmo que não se integre no grupo preferencial.

Como «uma incubadora não são só paredes», o objetivo é atrair startups e empreendedores, bem como empresas e empresários. «O que queremos fazer é pôr todo o ecossistema a funcionar», juntando «pessoas que estão a começar, mas também empresários com mais experiência». Só assim se conseguirá «criar redes para criar negócios», acrescentou Luís Matos Martins.

Luís Matos Martins, da Territórios Criativos

Quanto à localização da incubadora, fora do centro da cidade de Portimão e numa zona mais periférica, aquele responsável sublinhou a importância de tirar partido das «muitas sinergias que podem ser desenvolvidas com o Autódromo».

Por seu lado, Isilda Gomes, presidente da Câmara de Portimão, que é o segundo parceiro desta incubadora de startups, anunciou que, em breve, «o Vai Vem irá começar a passar» pelo Autódromo, estendendo uma das suas linhas, que atualmente chega à vizinha aldeia da Pereira. Mas também há «outras hipóteses de mobilidade que estamos a estudar», acrescentou.

Paulo Pinheiro, administrador da Parkalgar, a empresa proprietária do Autódromo Internacional do Algarve, fez questão de sublinhar que esta entidade – que é a terceira parceira da incubadora – não recebe «um tostão» com a cedência do espaço para esta iniciativa. Os dois pisos do complexo do circuito foram cedidos a título gratuito, em regime de comodato.

E que vantagens terá então o Autódromo? Paulo Pinheiro lembrou que esta estrutura já é utilizada, ao longo de todo o ano, por empresas mundiais, algumas delas na linha da frente da inovação, para aqui testarem os seus produtos, nomeadamente ao nível dos automóveis e das motos. E essas empresas até poderão ter vantagem em trabalhar com as startups que vierem a instalar-se na nova incubadora, enquanto o contrário também é verdadeiro.

O administrador referiu mesmo o exemplo de uma empresa na área da imagem, que se deverá instalar em breve na «Startup Portimão», e que «vai trabalhar para os nossos clientes».

Neste momento, acrescentou, a Volkswagen está no Autódromo de Portimão, com uma equipa de 48 pessoas, a fazer testes de pista em condução autónoma, para desenvolver os automóveis do futuro, que não precisarão de condutor. Aliás, o engenheiro responsável por esta área super especializada de investigação no mundo automóvel esteve presente no lançamento da incubadora e fez questão de explicar, em traços gerais, o trabalho da sua equipa.

«Nós, portugueses, somos inteligentes, às vezes só precisamos de um pequeno empurrão. E esta incubadora quer ser esse empurrãozinho», frisou Paulo Pinheiro.

Paulo Pinheiro, administrador da Parkalgar

A presidente da Câmara Isilda Gomes haveria ainda de partilhar que a abertura da «Startup Portimão» é «a concretização de um sonho». «Isto é o resultado de uma conjugação de várias vontades e da determinação do Paulo Pinheiro, da Territórios Criativos, da Câmara e dos seus trabalhadores, que nos últimos dias estiveram aqui muitas horas para que tudo estivesse pronto».

No espaço desta incubadora, tudo foi feito, até ao nível da decoração, para fomentar a criatividade e a partilha de ideias. Num dos cantos, até há uma mesa de ténis de mesa, para descontrair. «E se alguém, enquanto joga aqui, tiver uma ideia e quiser apontá-la, pode fazê-lo de imediato» no pequeno quadro negro na parede, cuja função principal é apontar os pontos dos jogos, explicou Luís Matos Martins.

Mais à frente há uma sala de refeições, onde, mais uma vez, há espaço para conviver e partilhar ideias. E, além de uma sala mais formal de reuniões, há outra onde se pode conversar sentado confortavelmente em sofás e ainda um terceiro espaço onde há bolas de Pilates e outros assentos menos convencionais. Depois de um dia intenso de trabalho, «cá estaremos para beber uma cerveja em conjunto».

Todo o espaço tem um carácter de irreverência e de criatividade, até em pequenos pormenores da decoração: a sala de refeições chama-se «pit stop», mais uma vez fazendo a ligação ao Autódromo, já que, como se apressou a explicar Paulo Pinheiro, esse o local onde se faz o abastecimento dos veículos em pista, há caixas de fruta em madeira nas salas, «para ajudar a pensar fora da caixa». E as paredes estão decoradas com magníficas fotos a preto e branco de João Mariano, sobre os mariscadores da vizinha Ria de Alvor.

Luís Matos Martins anunciou também que esta incubadora está já a tratar da sua certificação, para que possa passar a atribuir vauchers de incubação e outros apoios para as novas empresas. A estrutura vai ainda promover programas de formação para os seus membros e eventos e iniciativas, voltadas para o interior, mas também para o exterior. O objetivo de tudo isso é, insistiu, «criar redes entre os empreendedores», já que é dessas redes que surgem muitas das oportunidades de negócio.

Tendo com parceiros institucionais o IAPMEI e o IEFP, a «Startup Portimão» está agora aberta a candidaturas de empreendedores. Clique aqui para saber mais sobre a incubadora e o seu projeto, e para contactar os seus responsáveis.

«Queremos aqui muitos jovens empresários e empreendedores. E se forem mais de 40, arranjaremos ideias para a expansão deste espaço», concluiu Isilda Gomes.

 

Fotos: Elisabete Rodrigues|Sul Informação e Filipe da Palma|CMP

 

 

 

Comentários

pub