pub
Imprimir

O mais moderno Centro de Formação para a Economia do Mar vai nascer em Paderne

O mais moderno centro de formação ligado à Economia do Mar a ser criado em Portugal vai custar 5 milhões de euros, mas depende ainda da aprovação da candidatura do projeto a fundos europeus. Trata-se da «4 Sea International Academy», que vai ocupar quatro dos 22 hectares da antiga fábrica de cerâmica Faceal, em Paderne, no interior do concelho de Albufeira.

O projeto, que foi apresentado na semana passada com uma visita ao local, é da responsabilidade da Martrain, uma cooperativa sem fins lucrativos vocacionada para a formação e prestação de serviços no setor marítimo e portuário, e conta com o apoio da Câmara Municipal de Albufeira, que cedeu, a título gratuito, por um período de 40 anos, os quatro hectares dos terrenos da antiga Faceal, onde irão ser construídas as futuras instalações do Centro de Formação, e da Universidade do Algarve – entidade com a qual foi firmado um protocolo com vista a desenvolver atividades de cooperação, nomeadamente na área da investigação científica e desenvolvimento tecnológico.

A parte mais cara do investimento será a construção do enorme tanque que funcionará como simulador aquático – e que será o maior e mais completo em Portugal. O tanque terá 3200 metros quadrados de área e 12 metros de profundidade máxima, contando ainda com um gerador de ondas.

Destina-se, por exemplo, a treinar situações muito especializadas de formação, como abandono de helicóptero submerso com EBS, Free Fall Lifeboat (simulação de libertação de baleeiras para a água), curso básico de busca subaquática ou intervenção em espaços confinados submersos.

Luís Carvalho, diretor pedagógico da Associação de Estudos e Ensino do Mar (AEMAR), que faz formação na área há mais de 26 anos, explicou que se trata de «formações obrigatórias para trabalhar na maior parte dos navios ou em plataformas petrolíferas» e que, em Portugal, ainda não existe.

O centro «4 Sea International Academy» vai aproveitar grande parte dos edifícios da antiga fábrica de cerâmica, que estão hoje muito arruinados, devido a anos de abandono. Um dos edifícios será readaptado para acolher as salas de aulas e de formação, um pequeno auditório, biblioteca, dormitório, refeitório e cafetaria, lavandaria, laboratórios, salas de simuladores (ponte e máquinas) e outras estruturas de apoio, enquanto noutro será criado um polidesportivo. «Vamos manter e reconfigurar» os edifícios existentes, mas também criar áreas novas, como a piscina do simulador e ainda «um parque de combate a incêndios», para formação específica nessa área.

Quanto às obras necessárias, Luís Carvalho adiantou que «os principais financiadores do projeto serão os fundos europeus», se a candidatura a apresentar pela Martrain for aprovada. A «fatia maior», acrescentou, «virá do Fundo Social Europeu», já que o foco do projeto é na formação.

O tanque de simulação para treino especializado

Prevê-se que a obra em si dure «ano e meio», esperando os promotores do projeto que comecem «no primeiro semestre de 2018».

O centro de formação, que terá duas vertentes principais, uma virada para a formação inicial de jovens e outra para formação especializada de profissionais ou futuros profissionais de todas as funções ligadas ao mar, terá uma «capacidade máxima» de «500 a 600 alunos».

A formação inicial, acrescentou o diretor pedagógico, será «ensino profissional puro e duro», para alunos com o 9º ano e pelo menos 15 anos de idade, que sairão com nível 4 de certificação e equivalência ao 12º ano. Esta será feita em português.

Mas a formação especializada será dada em português e em inglês, até porque, a esse nível, o foco do futuro «4Sea» estará colocado na captação de alunos de outros países, não só da Europa, como de África e de outros continentes.

Carlos Silva e Sousa, presidente da Câmara de Albufeira, salientou o facto de se tratar de um «projeto muito ambicioso», «de carácter nacional e internacional». «Vamos ter aqui o melhor da ciência nestas matérias», vaticinou o autarca.

Além de contribuir para «esbater a interioridade de Paderne», trazendo para a freguesia mais jovens, o projeto permite também «a reabilitação urbana do edificado». Além do mais, sublinhou o presidente da Albufeira, trata-se de um centro de formação «com empregabilidade assegurada, na ordem dos 90 e tal por cento. Só não vai trabalhar quem não quiser».

Por seu lado, Pedro Ferré, vice-reitor da Universidade do Algarve, sublinhou a ligação do «4Sea» a dois dos centros de investigação da UAlg – o CIMA e o CCMAR. «Através de pós-graduações e cursos, iremos associar-nos, com os nossos saberes, às empresas», acrescentou.

O vice-reitor sublinhou ainda o papel do CRIA – Divisão de Empreendedorismo da UAlg, que «tem funcionado como um intermediário com os stakeholders e definido a tipologia dos apoios financeiros».

 

Por seu lado, Tiago Magalhães, diretor executivo do CCMAR, disse que a Martrain é «um parceiro novo que vai cobrir a formação em áreas novas, de modo a potenciar toda a gente à sua volta». «É importante que haja escala nos projetos, com parceiros fortes, diversos, a falar entre eles, o que é fundamental em termos de financiamento público, para que os projetos possam avançar».

O futuro centro de formação irá dispor de formadores altamente especializados, instalações modernas e meios técnicos que permitem assegurar a oferta de um conjunto de serviços e formação diversificada nas vertentes operacional, de segurança e ambiente ligadas à operação portuária, atividades náuticas e indústria marítima.

A formação irá decorrer em ambiente real, com recurso a simuladores (navegação, máquinas e comunicações), um tanque especialmente construído para o efeito e oficinas dotadas do mais recente equipamento, que, de acordo com os promotores do projeto, «irá potenciar ao máximo o emprego no mercado internacional, de portugueses, nomeadamente em plataformas petrolíferas».

O projeto irá ainda disponibilizar instalações de invernagem e reparação naval de embarcações de recreio, com formação on-the-job em áreas fundamentais para o setor.

A oferta formativa inclui treino básico universal de sobrevivência e treino universal e sua atualização, formação para abandono de helicóptero submerso com EBS, treino de familiarização, Free Fall Lifeboat, curso básico de busca subaquática, intervenção em espaços confinados submersos, manuseamento de extintores, segurança básica STCW/2010, gestão de recursos em simulador de ponte de comando, segurança da condução de máquinas marítimas, segurança em rebocadores portuários, segurança ocupacional hoteleira a bordo de navios, segurança no trabalho a bordo de navios e segurança no trabalho a bordo dos navios RO/RO.

Pretendendo criar um «centro de excelência de formação em língua portuguesa com reconhecimento a nível internacional», a «4Sea International Academy» será responsável ainda pela criação de «50 a 60 postos de trabalho em permanência», entre administrativos, funcionários de outros setores como refeitório e formadores especializados.

 

 

Comentários

pub
pub

Em foco

pub
Logo Lugar ao Sul
pub
pub