pub
Imprimir

Festival B Cultural leva Anaquim e JP Simões ao interior de Faro

Anaquim

A 3ª edição do Festival B Cultural leva à Bordeira, na zona rural do concelho de Faro, esta sexta-feira e sábado, dias 11 e 12 de Agosto, teatro, workshops e a música de JP Simões e Anaquim.

Em três anos, o evento cresceu e conseguiu alargar o leque de artistas. «Este ano, temos bandas regionais e três projetos nacionais, dois de música e um de teatro. Conseguimos dar um salto bastante interessante a caminho do nosso ideal de programação», revela Mauro Amaral, da organização do evento, ao Musicália/Sul Informação.

Nos dias 11 e 12, há ainda, gratuitamente, três projetos musicais algarvios, Orblua, Mauro Amaral e Galopim, bem como Maio Coopé, músico guineense, A Carripana (teatro de rua), histórias contadas por Luís Carmelo. As noites encerram com os Djs Discossauro e Selecta Alice.

Haverá também animação para as crianças, jogos tradicionais e outras atividades que pretendem atrair novos públicos. Situada a 13 quilómetros de Faro, na freguesia de Santa Bárbara de Nexe, a aldeia da Bordeira é conhecida por “levar para fora” a sua cultura, nomeadamente através das atividades da Sociedade Recreativa Bordeirense, mas não é habitual que as pessoas se desloquem para ver eventos neste sítio do interior farense.

JP Simões

Desde que surgiu o B Cultural, e outras atividades da Associação Valoriz’arte, a realidade tem vindo a mudar. «Procuramos trazer uma programação moderna para uma zona de cultura tradicional e para um público diferente, sendo que muito dele vem de fora. Agora, cada vez mais, as pessoas estão a perceber que há um outro tipo de riqueza, e de espaço, para usufruir das atividades culturais no interior», afirma o programador da Valoriz’arte.

Como a maior parte dos festivais, o B Cultural é baseado na música, mas, apesar do orçamento limitado e dos poucos voluntários, a organização pretende aumentar as áreas de intervenção artística.

«No ano passado, já tivemos novo circo, este ano temos um contador de histórias e uma peça de teatro, numa parceria entre o LAMA e o Teatro de S. Luís, algumas atividades lúdicas, workshops, artesanato ao vivo e poesia popular, algo que está nas raízes da Bordeira, mas queremos ir aumentando. Sabemos o que queremos, mas ainda não há capacidade organizativa para mais», explica Mauro Amaral.

A logística e os recursos levam a associação a distribuir algumas das atividades ao longo do ano e aproveitar esta oportunidade para mostrar um pouco da Bordeira a quem é atraído pelo B Cultural.

Dentro da dinâmica de programação que a Valoriz’arte tem idealizada, havia a intenção de trazer um pouco da alegria do Festival F, como uma extensão, até ao “Faro rural”.

«Sugerimos isso ao vice-presidente da Câmara Paulo Santos e ele concordou em fazer essa extensão, para começar, porque temos sempre um objetivo mais ambicioso para os próximos anos e para ajudar a sustentar a programação», revela o responsável.

O resultado da parceria é a presença de Anaquim, grupo liderado pelo compositor e letrista José Rebola. É o regresso a Faro desta banda de Coimbra, já no seu terceiro álbum, “Um Dia Destes”, que se estreou na capital algarvia em 2010, após o lançamento do álbum de estreia.

Outra das bandas nacionais é Bloom, o novo projeto de JP Simões (Pop Dell’Arte, Belle Chase Hotel, Quarteto Tati), que se estreia no Algarve no sábado, dia 12.

Na mala, traz o novo “Tremble Like a Flower”, onde o músico volta cantar em inglês, sobre uma sonoridade mais próxima da folk e do blues, da world music e do rock, que será apresentado em versão guitarra e voz.

Sendo um músico reconhecido, a presença no festival foi conseguida através da rede de contactos já estabelecida pela Valoriz’arte. «Um vizinho meu, aqui de Bordeira, é de Sintra e amigo da Selecta Alice e do JP Simões e conseguimos o contacto direto» .

As relações pessoais fazem a diferença na programação do evento, acima de tudo, para garantir a presença dos artistas e para ajudar na negociação dos valores. Com Galopim, Orblua e Discossauro, há uma relação próxima, Mauro Amaral é “da casa” e Maio Coopé conheceu o B Cultural no ano passado, como membro do público, apesar de não ter conseguido resistir a pegar na guitarra.

«É de destacar que todos os artistas presentes foram incrivelmente disponíveis em termos de cachê. De outra forma, com o nosso orçamento, não era possível trazê-los», realça Mauro Amaral.

O B Cultural acontece no recinto da Associação Valorizarte, na Rua José Ferreiro Pai, na Bordeira, tem entrada livre e abre às 18h00, no dia 11 de Agosto, e às 16h00, no sábado, dia 12.

Anaquim – Sou imune ao teu charme


 

Bloom – Tremble like a flower


 

A entrevista a Mauro Amaral:

Comentários

pub