pub
Imprimir

Estado de calamidade pública preventivo alargado a todo o Algarve

Risco de Incêndio dia 18 de Agosto de 2017_Site IPMA

O estado de calamidade pública com efeitos preventivos declarado esta sexta-feira pelo primeiro-ministro e pela ministra da Administração Interna foi alargado «a todos os municípios do Algarve», após uma avaliação feita hoje, dia 18 de Agosto, revelou ao Sul Informação o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

Os diferentes responsáveis pela proteção civil, no Algarve, vão reunir-se esta tarde em Loulé para fazer um ponto da situação e avaliar as medidas que irão ser tomadas, face à declaração do estado de calamidade pública preventivo.

A medida estará em vigor até às 24h00 de segunda-feira e prevê uma mobilização especial de meios, ao mesmo tempo que restringe algumas atividades, estando proibido o lançamento «de fogo-de-artifício ou de outro material pirotécnico», segundo revelou o primeiro-ministro António Costa, numa conferência de imprensa no Palácio de São Bento, em Lisboa.

A inclusão de todo o território algarvio deve-se ao facto de todos os concelhos do interior e parte dos do litoral estarem com risco muito elevado ou máximo de incêndio até segunda-feira. Dos 16 municípios da região, só Lagoa, Albufeira, Faro, Olhão e VRSA não apresentam este nível de alerta, embora estejam no logo abaixo: risco elevado de incêndio.

Segundo anunciou António Costa, o estado de calamidade preventivo abrange 155 concelhos a nível nacional e aciona «todos os planos emergência de âmbito distrital e municipal dos concelhos abrangidos».

Comentários

pub