pub
Imprimir

Músicos algarvios cantam “Terra” pela Serra de Monchique

Mauro Amaral, Azinhaga, Viviane, OrBlua, Flor de Sal, Helena Madeira, Migna Mala, Argonautus Ensemble, Storm & the Sun, João Lum e Os Cantores de Monchique são os músicos algarvios que emprestam o seu talento ao disco «Terra», cuja apresentação está marcada para sábado, 1 de Abril, às 18h30, no Festival do Medronho, em Monchique.

Em Setembro do ano passado, a Serra de Monchique sofreu um violento incêndio, numa tragédia de dimensão ecológica, económica e social. No centro da serra, estava o músico Carlos Norton, que, como os outros habitantes, viveu momentos de pânico e de azáfama, tentando ajudar os vizinhos a evitar que as chamas lhes destruíssem a vida.

No momento de rescaldo, e não podendo ajudar de outra forma, Carlos Norton decidiu juntar músicos algarvios e fazer nascer um projeto de esperança. «Olhei para a imensidão de negro e só pensava nos anos de espera até vermos algum verde. A ideia surgiu naturalmente: juntar os artistas algarvios e fazer com que isso contribua diretamente para a reflorestação e plantar árvores», explicou o músico dos OrBlua, em entrevista ao Sul Informação|Musicália.

A compilação “Terra” é produzida pela Fungo Azul e conta com o apoio da Câmara Municipal de Monchique, pelo que estará à venda pelo preço simbólico de 4 euros, revertendo os lucros, na totalidade, para as ações de reflorestação.

«Não será só uma plantação de árvores, há o cuidado em ter projetos ambientais e florestais que revertam para a serra, há ações de limpeza previstas e também de plantação de árvores, mas tudo interpretado num sentido mais lato, do que é a manutenção e preservação da serra algarvia», acrescentou Carlos Norton.

 

Orblua

“Terra” são 45 minutos do melhor da música algarvia, onde se pode encontrar temas compostos e gravados especialmente para esta compilação, por Azinhaga, Orblua, Helena Madeira e Argonautus Ensemble.

Os músicos Mauro Amaral, Migna Mala e Storm & the Sun libertaram temas em avanço dos seus trabalhos que serão brevemente editados.

Viviane regravou o tema “A vida não chega”, os grupos Flor de Sal e João Lum cederam músicas previamente editadas e os Cantores de Monchique cederam um tema gravado, mas nunca editado.

Bem ao jeito do ambiente simbiótico encontrado no habitat florestal, esta coletânea permite que alguns músicos locais desconhecidos possam brotar e ser conhecidos à sombra de outros mais populares. «Uma das preocupações da florestação que queremos fazer é utilizar espécies autóctones, da serra de Monchique. Também este CD é feito de músicos algarvios. Há sempre umas árvores que dão suporte às outras e procurámos nomes que já tenham carreira e que ajudem à divulgação do projeto, mas também nomes que estão agora a emergir. Todos unidos nesta causa, acabam por dar força ao projeto e aos próprios artistas», explicou Norton.

Esta será, assim, uma forma de mostrar que a comunidade artística, em conjunto com todos os cidadãos, pode contribuir para ajudar uma causa que é fundamental para todos: manter a Floresta algarvia.

No sábado, o lançamento do disco no Festival do Medronho de Monchique, às 18h30, contará com a atuação de Helena Madeira e dos OrBlua.

A coletânea “Terra” pode ser adquirida durante o fim-de-semana, no Festival do Medronho, bem como nos postos de venda aderentes por todo o Algarve e que estão a ser constantemente atualizados na página na internet do projeto Terra.

 

Músicos algarvios participantes no projeto Terra
Mauro Amaral – O Nosso Amor
Azinhaga – Vida Dura
Viviane – A vida não chega
OrBlua – Terra Ardente
Flor de Sal – Quero ver sempre as Estrelas
Helena Madeira – Algarve
Migna Mala – Emareom
Argonautus Ensemble – Fogo
Storm & the Sun – Brethe Me
João Lum – Podemos Mudar
Cantores de Monchique – Vou tantas vezes à Bruxa

 

Comentários

pub
pub

Em foco

Sem conteúdo para mostrar

pub
Logo Lugar ao Sul
pub
pub