pub
Imprimir

Museu de Loulé já integra Rede Portuguesa de Museus

O Museu Municipal de Loulé já foi oficialmente aceite na Rede Portuguesa de Museus (RPM). A novidade foi anunciada esta sexta-feira por Júlio de Sousa, diretor do Departamento de Educação e Desenvolvimento Sociocultural da Câmara de Loulé, durante a sessão de abertura das primeiras Jornadas da Rede de Museus do Algarve.

A candidatura do Museu de Loulé tinha recebido a aprovação da Secção de Museus, Conservação e Restauro e Património Imaterial do Conselho Nacional de Cultura, na sua reunião de 8 de Fevereiro, mas só esta quinta-feira, dia 16 de Março, após a homologação pelo ministro da Cultura, o ofício a confirmar a decisão chegou à autarquia louletana.

Luís Raposo, ex-diretor do Museu Nacional de Arqueologia e atual presidente do ICOM Europa, convidado das Jornadas, felicitou a integração do Museu de Loulé na RPM, salientando que se trata de uma «chancela de qualidade».

Em declarações ao Sul Informação, Júlio de Sousa disse que este «reconhecimento é extremamente importante para o Museu de Loulé», sendo ainda uma «certificação da qualidade do trabalho da equipa» que preparou a candidatura e agora gere e dá vida ao museu.

Ana Rosa Sousa, diretora do Museu de Loulé, disse ao nosso jornal que a integração na RPM é o culminar de «um processo que começou há mais de um ano» e que obrigou a uma profunda reorganização do trabalho da estrutura museológica louletana.

 

A candidatura, explicou Ana Rosa Sousa, obrigou a garantir «o reforço da equipa do Museu», com a contratação de um técnico de conservação e restauro, a «renovação da exposição síntese do núcleo sede com novos textos de enquadramento», em português e inglês, a «informatização da bilheteira», «a informatização e inventariação da coleção», a «reorganização da reserva, a elaboração dos documentos obrigatórios para a credenciação», bem como a «promoção de atividades educativas e das acessibilidades».

Segundo a Câmara de Loulé, a integração «permitirá a candidatura a fundos nacionais e comunitários destinados exclusivamente a museus credenciados na Rede Portuguesa de Museus, bem como receber o apoio técnico qualificado da tutela do património, assim como qualificar a equipa técnica do museu, através da realização de ações de formação especializada».

Este é o quinto museu do Algarve a integrar a Rede Portuguesa de Museus, depois dos de Portimão, Faro, Tavira e Albufeira.

O Museu Municipal de Loulé, cujo núcleo principal se situa no edifício da Alcaidaria do Castelo, no centro histórico da cidade, recebeu no ano passado 142 mil visitantes.

As primeiras Jornadas da Rede de Museus do Algarve decorreram ao longo de todo o dia de sexta-feira, no antigo Convento do Espírito Santo, em Loulé, tendo como tema genérico «Museus sem Reservas?».

 

 

Comentários

pub
pub

Em foco

pub
Logo Lugar ao Sul
pub
pub