pub
Imprimir

Jornadas debatem o novo conceito do “Aradismo” e chamam os jovens para a reflexão

A segunda edição das Jornadas do Arade começa já no sábado, dia 11 de Março, no auditório do Museu de Portimão, prolongando-se para domingo, com um programa intenso.

Depois de uma sexta-feira no Espaço Raiz (antiga escola primária da Pedra Mourinha), dedicada exclusivamente à formação, por via de dois cursos de curta-duração (Introdução ao Dirigismo Associativo e Viver Melhor Amanhã: Uma introdução ao movimento de Transição do Arade), o programa das Jornadas abre no sábado de manhã, pelas 9h00, com a conferência “Aradismo: Impulso ao desenvolvimento regional?”, a cargo de Nuno Silva.

“Aradismo” é um conceito que emergiu nas últimas Jornadas do Arade. A ideia de criar grupos de trabalho no seio da sociedade civil com o objetivo de refletir sobre estratégias e soluções para a promoção do território e da paisagem cultural da Bacia do Arade foi imediatamente acolhida pela associação Teia D’Impulsos.

Assim, a segunda edição das Jornadas irá abrir com o lançamento do projeto “Aradismo: Rede de Intervenção para o Desenvolvimento da Bacia do Arade”, que, segundo a Teia d’Impulsos, consiste «na formação de quatro grupos de reflexão sobre questões estratégicas para o desenvolvimento da região». E as questões são: como trabalhar a marca “Arade”; a promoção da saúde e do bem-estar na região; turismo – como fazer uma oferta integrada para o território do Arade; e promoção e divulgação da paisagem cultural do Arade.

Os trabalhos das Jornadas continuarão durante os dias de sábado e domingo, levando à mesa os temas mais atuais e pertinentes, comuns aos quatro municípios da Bacia do Arade (Portimão, Lagoa, Silves e Monchique).

Um especial destaque para a noite de sábado: depois do cocktail de apresentação da sétima edição da Rota do Petisco, será altura de dar a voz aos mais novos. Quais os caminhos para o desenvolvimento da Bacia do Arade? Esta será a questão colocada a um grupo de jovens do ensino secundário que, nas últimas semanas, foi convidado a refletir sobre o futuro da sua região.

As conclusões serão apresentadas a partir das 21h30 de sábado, perante os representantes do poder municipal: Isilda Gomes (Presidente da Câmara Municipal de Portimão), José Alves Pinto (chefe de gabinete do presidente da Câmara Municipal de Lagoa), Rosa Palma (presidente da Câmara Municipal de Silves) e Rui André (presidente da Câmara Municipal de Monchique).

«Será uma ocasião única para os mais jovens exercerem o seu direito de cidadãos com opinião e capacidade de intervenção no destino das suas localidades», salienta a associação Teia d’Impulsos, que promove as Jornadas.

Já no domingo, para encerrar as II Jornadas do Arade, o Grupo de Amigos do Museu de Portimão lança o convite para um passeio pelas margens da História, à descoberta da importância do Arade na evolução das comunidades ribeirinhas. Com ponto de partida no Museu de Portimão, às 16h00, esta será uma oportunidade para ficar a conhecer um pouco do passado do rio Arade e das suas gentes, depois de dois dias inteiros a projetar o seu futuro.

As Jornadas do Arade são uma iniciativa da associação Teia D’Impulsos, enquanto parte do projeto CAIC – Cidadania Ativa e Intervenção Cívica, que conta com o apoio dos municípios de Portimão, Lagoa, Silves e Monchique, da Junta de Freguesia de Portimão, do Museu de Portimão, da CCDR Algarve e de várias organizações e empresas locais que tornam esta iniciativa possível.

A entrada é livre, mas sujeita a inscrição, através do site www.jornadasdoarade.pt, onde também se poderá obter mais informações sobre as II Jornadas do Arade e inscrever-se num dos dois cursos de curta duração que se realizam na sexta-feira, dia 10 de Maio, no Espaço Raiz.

Poderá igualmente contactar a organização através do endereço eletrónico jornadasdoarade@gmail.com.

Comentários

pub