pub
Imprimir

Beber vinho numa adega enquanto se ouve jazz vai ser possível em Silves

A proposta é «fazer algo diferente»: em Janeiro, Fevereiro e Março, adegas do concelho de Silves vão receber concertos de jazz que poderão ser apreciados enquanto se bebe um vinho aí produzido. A ideia para este «Jazz nas Adegas», que faz parte da programação do 365 Algarve, partiu da Câmara silvense e quer, além de animar as adegas e promover os vinhos locais, «criar um dinamismo cultural».

Em declarações ao Sul Informação, Sandra Moreira, coordenadora do gabinete de comunicação da Câmara de Silves, explicou que, «quando surgiu o 365 Algarve, as autarquias foram desafiadas a fazer propostas diferentes e esta era uma ideia que já tínhamos».

Assim, «dado o ambiente intimista» de uma adega, o jazz foi o tipo de música escolhida. «Temos a esperança de chegar a várias gerações e nacionalidades. Temos muitos residentes estrangeiros no concelho, que são pessoas com uma apetência específica para este tipo de propostas», considerou Sandra Moreira.

Um dos objetivos foi o de ter «alguns músicos algarvios», o que dá «garantias de que vamos atrair público não só do concelho, mas de outros locais que conhecem e acompanham os músicos».

Os Gobi Jazz Dogs são o primeiro grupo de convidados do programa «Jazz nas Adegas», que arranca já no próximo dia 14 de Janeiro, às 21h00, com um primeiro evento, na Quinta João Clara, em Alcantarilha. Esta é uma das marcas que integra os «Vinhos de Silves».

O quarteto de músicos levará uma «herança sonora, na qual o jazz, o funk ou a bossa-nova estarão presentes», segundo a autarquia silvense. Não faltarão, também, os improvisos e os solos de Pedro Gil, na guitarra, Ricardo Coelho, no piano, Paulo Strak, no contrabaixo, e Vasco Fialho, na bateria.

Uma semana depois, a 21 de Janeiro, será a Quinta da Vinha, no Sítio da Vala, cujo vinho produzido se chama «Cabrita», a receber jazz nas suas adegas com os «Prima Matéria».

A partir das 21h00, Luís Domingos Miguel (saxofone Tenor e Alto), David Fournier (Guitarra), Hugo Santos (Contrabaixo) e Filipe Sequeira (Bateria) darão a conhecer um repertório que pretende ser «contemplativo, mutável, desconcertante e energético, composto essencialmente por originais, conjugando a tradição do jazz com a contemporaneidade».

Já a 11 de Fevereiro, também às 21h00, a proposta é degustar um vinho da Quinta do Lagar, que tem nomes como o «!mprevisto» ou «Euphoria» ao som do Biel Ballester Trio. Este conjunto pretende não só manter a tradição do estilo jazz, mas incorporar também «composições originais dos vários trabalhos editados».

Compostos por Biel Ballester, na guitarra a solo, Leo Hipaucha, na guitarra ritmo, e Oriol Gonzalez, no contrabaixo, este grupo ganhou «grande projeção aquando da sua participação na banda sonora do filme “Vicky Cristina Barcelona”», de Woody Allen (um grande amante de jazz e ele próprio músico), conta a Câmara de Silves.

A algarvia Sara Badalo – com o seu projeto «What About Sara» – será a animadora na Quinta do Barradas, no Sítio da Venda Nova, a 18 de Fevereiro. A degustação do vinho da Quinta do Barradas acompanhará Sara Badalo, que é descrita como sendo «uma das mais recentes vozes a surgir no panorama do Jazz em Portugal».

Neste projeto, a algarvia mistura repertório de jazz com blues «de uma forma singular». O grupo a atuar terá Marcos Badalo, na guitarra e baixo, e Paulo Machado, nos teclados, acordeão, baixo, e vozes.

A penúltima atuação do «Jazz nas Adegas» acontecerá no dia 10 de Março, na Quinta do Francês, em Odelouca, às 21h00. O vinho: Quinta do Francês. Na música: Hugo Antunes Standards Trio, «com o intuito de explorar o cancioneiro norte-americano de jazz». O grupo é composto por Gonçalo Neto, na guitarra, Hugo Antunes, no contrabaixo, e Luís Candeias, na bateria.

Por fim, Beatriz Cruz, no dia 17 de Março, encerrará, na Quinta Rosa, este «Jazz nas Adegas», onde o vinho será o Jaap. A acompanhá-la, estarão Tiago Pinto, na guitarra, João Ruano, no baixo, Gonçalo Machado, na bateria, e Vasco Vilhena, no piano.

A entrada para os concertos do «Jazz nas Adegas» custa 7,5 euros, dando direito à degustação e ao concerto.

 

Como funciona e como se pode reservar:

Os participantes terão direito, com a compra do ingresso (que custa 7,50 euros), a realizar uma prova de um dos vinhos produzidos na quinta onde decorre o evento.
Além disso, receberão uma garrafa de vinho de oferta, bem como dois vouchers que permitirão a visita gratuita ao Castelo de Silves e ao Museu Municipal de Arqueologia de Silves, ao longo do ano de 2017.

Para reservas: Setor de Cultura da Câmara Municipal de Silves | telefone 282 440 800 | email: cultura@cm-silves.pt

Comentários

pub
pub

Em foco

pub
pub