pub
Imprimir

Meia Maratona de Tavira atrai recorde de atletas e ajuda economia local

Apresentação Meia Maratona de Tavira_01A II Meia Maratona Tavira – CPSE Liberty Seguros deverá contar com «550 a 600 atletas inscritos», enquanto para a caminhada familiar são esperadas 300 pessoas. Estes são os principais números previstos pela organização para a prova, que tem três vertentes – Meia Maratona (21 quilómetros), Mini Maratona (12,5 quilómetros) e caminhada familiar (7,5 quilómetros) – e que está marcada para o próximo domingo, dia 20 de Novembro, em Tavira.

José Barradas, presidente da Casa do Povo de Santo Estêvão, principal responsável pela organização da prova, revelou, na conferência de imprensa de apresentação da Meia Maratona, que, até sexta-feira passada, já havia «350 inscritos, de França, Espanha, Inglaterra, Alemanha e Portugal, de várias zonas do país e até das ilhas». Mas, sublinhou, «nos últimos dois ou três dias é que o grosso das inscrições terão lugar».

Além do recorde de participações, outra novidade é o percurso, que passa por algumas das mais belas paisagens do concelho de Tavira, à beira da Ria Formosa ou nas ruas da própria cidade histórica.

A partida e chegada será na Praça da República, o grande largo frente à Câmara de Tavira e junto ao Rio Gilão, mas o percurso das três vertentes da prova estende-se pela zona ribeirinha da cidade até às Quatro Águas, passando pela bonita zona das salinas, regressa depois a Tavira passando junto ao antigo Convento das Bernardas, segue pelo Quartel, passa junto à estação, descendo de novo à Praça da República. No caso da Meia Maratona, por serem mais quilómetros, os atletas irão atravessar a ponte de São Domingos até à outra margem do Gilão.

«Para os atletas e para os participantes na caminhada familiar, será um percurso muito bonito», garantiu José Barradas. Mas mesmo para quem só for ver, haverá vários pontos de interesse: «quem aqui estiver para assistir à prova poderá ver os atletas em dois ou três pontos». E até haverá músicos a tocar ao vivo, ao longo do percurso.

O responsável pela organização da prova fez ainda questão de sublinhar a vertente solidária. É que a marcha familiar de 7,5 quilómetros tem uma inscrição que custa 2 euros, mas essa verba reverte a favor de duas IPSS do concelho: a Casa do Povo da Luz de Tavira e o Centro Social de Santo Estêvão.

José Barradas

José Barradas

Mas porque o que se pretende é ter um dia de festa, na Praça da República haverá muita animação, com «música ao vivo, espaço para as famílias, animadores, insufláveis, exposição de produtos na área do desporto, comércio de produtos e equipamentos específicos para running».

José Barradas destacou também o envolvimento dos vários clubes e associações do concelho: «para montarmos uma atividade desta dimensão temos 100 voluntários, muitos das associações locais».

Lara Ramos, presidente da Associação de Atletismo do Algarve, sublinhou o «percurso fantástico» da prova e o seu «manancial de projeção futura, que é muito grande». Mas o responsável não estranhou, uma vez que «Tavira, de repente, deu um grande salto para o desporto».

Isso mesmo foi realçado pelo presidente da Câmara Jorge Botelho, que lembrou que, «em 2009, o número de pessoas a fazer desporto à volta de programas municipais era de 300. Agora são 2500. Multiplicámos por oito o número de pessoas, enquanto os programas passaram de três para nove».

O autarca acrescentou que, neste momento, «10% da população do concelho está ligada a estes programas municipais de desporto. Há poucas terras do país que tenham tanta gente envolvida».

Jorge Botelho, depois de dizer que o sucesso dos programas municipais passa também pelas parcerias estabelecidas com as associações, manifestou a sua «grande alegria» por ver o atletismo a crescer em Tavira: «há dois clubes que começam a ser referência, começamos a dar passos importantes nessa modalidade».

Falando da promoção de estilos de vida saudáveis, o presidente da Câmara disse que a aposta no desporto e na atividade física tem tudo a ver com a Dieta Mediterrânica, esse património da Humanidade de que Tavira é a comunidade portuguesa representativa. «Há aqui uma ligação entre Dieta Mediterrânica, qualidade de vida, desporto, vida ativa e saudável».

Jorge Botelho salientou que, no próximo fim de semana, Tavira vai estar vibrante de atividades. Nas igrejas da cidade, no sábado e domingo, haverá três concertos. Na Praça da República, no sábado de manhã, haverá um Juramento de Bandeira. No domingo, será a Meia Maratona, a Mini Maratona e a Marcha Familiar a trazer centenas de pessoas à baixa da cidade.

Jorge Botelho

Jorge Botelho

«Tavira é isto mesmo: encontrar vontades, fazer que a economia aconteça. Garantir que, quem vem a Tavira, tenha muito para fazer, na cultura, no desporto, na gastronomia. Isto vai encher os restaurantes, os hotéis, os espaços comerciais. É bom para Tavira, mas acima de tudo é bom para o Algarve. O Algarve todo o ano não se faz só dizendo coisas. É fazendo!», concluiu o presidente da Câmara Jorge Botelho.

Para organizar uma prova que José Barradas, presidente da CPSE, pretende que se torne «referência no Algarve, no país e até a nível internacional», serão gastos 16 mil euros.

Mas, como sublinhou aquele responsável, «há muitas inscrições de estrangeiros, muitos espanhóis e mesmo portugueses que vêm de fora do Algarve. Eles virão de véspera, dormirão cá, comerão cá, levarão uma lembrança». E é a economia do concelho que tira partido de tudo isso.

Sobre o impacto económico da prova, o autarca Jorge Botelho não tem dúvidas: «multipliquem por seis ou sete esse valor» dos 16 mil euros.

As inscrições para a Meia e Mini poderão ser feitas até ao dia 16 de novembro, quarta-feira, no site www.cronosport.pt. A inscrição na Marcha Familiar Solidária poderá ser feita no Pavilhão Municipal Dr Eduardo Mansinho ou junto do Projeto Municipal Todos a Caminhar. Mas quem é de fora do concelho também se poderá inscrever no próprio dia, no Secretariado da prova, montado na Praça da República, junto à Câmara Municipal.

A Madrinha da Meia Maratona de Tavira CPSE Liberty Seguros é Aurora Cunha, atleta portuguesa já retirada das competições. Enquanto profissional, destacou-se em provas de corta-mato, meio-fundo e fundo. Atleta Olímpica, foi campeã mundial de estrada em três anos consecutivos — 1984, 1985 e 1986 — e venceu as maratonas de Paris (1988), Tóquio (1988), Chicago (1990) e Roterdão (1992), assim como a São Silvestre de São Paulo em 1988.

A Meia Maratona de Tavira conta com o apoio principal da Liberty Seguros, Ozadi Running Hotel, bem como do apoio do Município de Tavira e das Freguesias de Tavira e Luz de Tavira e Santo Estevão, entre muitos outros. A Associação de Atletismo do Algarve é parceira da prova.

 

Clique aqui para conhecer o percurso da Meia Maratona de Tavira CPSE Liberty Seguros

Mais informação no site no site da Casa do Povo de Santo Estêvão ou na sua página de Facebook.

 

Fotos: Elisabete Rodrigues|Sul Informação

 

Comentários

pub