Regionalização, Turismo, Centro Hospitalar do Algarve e muito mais nas primeiras Jornadas do Arade

A Regionalização, o turismo, nomeadamente gastronómico, de natureza e de saúde, o Centro Hospitalar do Algarve, o golfe e os […]

Museu de Portimão e o rio AradeA Regionalização, o turismo, nomeadamente gastronómico, de natureza e de saúde, o Centro Hospitalar do Algarve, o golfe e os seus impactos, são os grandes temas das primeiras Jornadas do Arade, que decorrem no fim de semana de 12 e 13 de Março, no Museu Municipal de Portimão.

O rio que separa, mas também une é o mote do programa científico, que promete uma troca de ideias salutar mas incisiva sobre temas determinantes para o destino dos municípios de Portimão, Lagoa, Silves e Monchique, situados na bacia do Arade.

Ainda antes de começar o debate, o convite é à participação num dos quatro Cursos Pré-Jornadas, cujo programa pode ser consultado clicando aqui.

Às 17h00 de sábado, é o próprio Rio Arade quem dá o pontapé de saída nas Jornadas, servindo de mote à conferência proferida por José Gameiro, diretor científico do Museu Municipal de Portimão.

Segue-se a primeira sessão de Controvérsia, com o tema «Regionalização – uma oportunidade de desenvolvimento para o Algarve?» Jorge Botelho, presidente da Câmara Municipal de Tavira e da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), e António Covas, professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade do Algarve, vão avançar com respostas à questão, tão pertinente num momento em que se volta a ponderar uma reforma da estrutura administrativa do território português.

rota do petiscoDepois da conversa, segue-se o petisco. A edição de 2016 da Rota do Petisco será formalmente apresentada pelas 20h00, acompanhada de um cocktail da responsabilidade da Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão. Levantando timidamente o véu: a 6ª Rota do Petisco traz muitas novidades… e chega mais cedo!

No sábado à noite, é dado lugar à reedição de um Teia d’Ideias que ficou na memória de muitos. Em 2014, a Teia d’Impulsos convidou os presidentes dos quatro municípios da bacia do Arade – Portimão, Monchique, Silves e Lagoa – a falar sobre os projetos para os respetivos mandatos, então ainda a começar. Passados cerca de dois anos, voltam a estar reunidos à mesma mesa para um ponto de situação sobre o que já foi feito, os planos para o futuro e a cooperação mútua em prol da concertação de respostas aos desafios atuais.

No domingo há mais. Os trabalhos das Jornadas começam às 9h00 com uma mesa-redonda dedicada a projetos inovadores e experiências bem sucedidas na divulgação e promoção do património cultural e histórico da Bacia do Arade.

Às 10h30, começa uma nova sessão de Controvérsia: «Centro Hospitalar do Algarve: tempo para reflexão». As perspetivas dos profissionais da saúde e dos utentes, bem como a análise económica da situação terão aqui voz, através das posições do médico e ex-presidente da ARS Martins dos Santos (Unidade Hospitalar de Faro do CHA), do deputado João Vasconcelos (Bloco de Esquerda) e do professor Luís Coelho (Faculdade de Economia da Universidade do Algarve).

Aberto à comunidade e à academia, o programa das Jornadas do Arade também dará lugar à apresentação de comunicações livres, sob o formato de posters. O apelo foi lançado e a resposta foi positiva, tendo sido selecionados vários trabalhos que serão apresentados em duas sessões, uma às 11h30 e outra às 17h00 de domingo. Os melhores terão ainda direito a prémios a ser entregues na sessão de encerramento das Jornadas.

Ainda antes do almoço, mais uma mesa-redonda. Pelas 12h00, serão dadas a conhecer diferentes soluções empreendedoras para a indústria do turismo do Algarve. Do Turismo Gastronómico ao Turismo de Natureza, passando pelo Etnoturismo e pelo Turismo de Saúde – este será um painel que evidenciará como a região algarvia tem muito mais para oferecer além do tradicional “sol e praia”.

jornadas do aradeA tarde de domingo começa com uma reflexão sobre a idade da reforma: «Como continuar a ter uma vida ativa e plena de sentido?» Numa mesa-redonda que começará pelas 14h30, serão apresentadas algumas soluções, como o associativismo ou a educação ao longo da vida.

O programa continua com a última Controvérsia destas primeiras Jornadas do Arade. O tema é o Turismo de Golfe e o convite é à análise dos prós e contras de um segmento emergente com potencialidades de contribuir para a atenuação da sazonalidade de que a indústria turística do Algarve padece. A marcar o tom, um conceito: sustentabilidade.

A lançar a discussão, estarão Elidérico Viegas, presidente da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), e Gonçalo Gomes, presidente da Secção Regional do Algarve da Associação Portuguesa dos Arquitetos Paisagistas.

A última mesa-redonda começa pelas 17h30 e regressa ao ponto de partida – o Rio Arade. Propõe-se aqui uma nova perspetiva: mais do que um canal fluvial, uma barreira física entre margens, uma via entre o litoral e o barrocal, encare-se o Rio Arade como um eixo do desenvolvimento económico regional. Que iniciativas contribuem já hoje para essa realidade? E como esta pode ser fomentada?

A inscrição nas I Jornadas do Arade é gratuita e está aberta no website.

 

Clique aqui para conhecer o Programa completo das Jornadas do Arade.

 

 

 

 

Comentários

pub
pub