pub
Imprimir

Realizador precisa de talentos algarvios para garantir que “Portugal não está à venda”

bdm_72

“Portugal não está à venda”, mas está quase, e o “Dia D” do negócio tem o Algarve como pano de fundo. Uma família não está contente com a possibilidade de deixar de ser portuguesa e revolta-se contra a venda do país. O cenário é fictício e é o ponto de partida do novo filme do realizador algarvio André Badalo, que vai estrear, até final do ano, em várias salas de cinema do país.

Maria Vieira, Dalila Carmo, São José Correia, Mariana Monteiro, Silvia Rizzo, António Capelo, Paulo Pires, Marina Mota, Simone de Oliveira, Pedro Granger ou João Lagarto fazem parte do elenco, que ainda não está completo. Por isso, a produtora Original Features está à procura de talentos algarvios que queiram fazer parte do filme.

O realizador André Badalo adiantou ao Sul Informação que a produtora «procura talentos de todas as idades para personagens de grande destaque que vão entrar no filme. Queremos pessoas do Algarve, de várias zonas. Queremos mostrar a diversidade de pronúncias da região».

O facto de a ação do filme se passar no Algarve vai estar bem vincado na película, inclusive na forma de falar dos atores. «Os atores que vão representar personagens algarvias vão falar “algarvio”. Por exemplo, Dalila Carmo e São José Correia já começaram a fazer o “estágio”», revelou.

A história passa por várias localizações, desde Vila do Bispo a Tavira, mas, sobre o argumento, André Badalo não pode «revelar muito». Apenas adianta que «é uma comédia, com um género de linguagem dos filmes de Woody Allen ou Pedro Almodóvar. Conta a história daquele que é o dia D, o dia em que Portugal vai ser vendido. Aborda os temas do desemprego, da emigração, da crise… e há uma família, com membros de várias gerações, que enfrenta e luta contra essa possibilidade de deixar de ser portuguesa».

Tudo isto, no Algarve. «É o ponto central da história, onde todas as personagens vivem. É como se o país começasse a ser vendido a partir do Algarve», adiantou o realizador, que também escreveu o argumento, juntamente com Vera Casaca e João Raposo.

As gravações do filme vão começar na última semana de fevereiro e vão prolongar-se até abril, sendo que “Portugal não está à venda” deve estrear «na rentreé, depois do verão» e vai ter distribuição nos cinemas pela NOS Lusomundo.

Os interessados em participar no filme devem enviar um e-mail com os dados pessoais, contactos e foto de rosto para castingportugalnaoestaavenda@gmail.com.

 

 

Comentários

pub