pub
Imprimir

Equipas algarvias partem para Volta ao Algarve com vontade de fazer frente ao top mundial

41ª Volta Algarve Liberty Seguros - Photo By João Fonseca
A Volta ao Algarve começa esta quarta-feira e vai prolongar-se até domingo. 190 corredores vão lutar pela vitória final, representando 24 equipas, duas delas algarvias. Louletano/Hospital de Loulé e Sporting/Tavira querem entrar na disputa pelos lugares cimeiros da classificação, ainda que as dificuldades sejam muitas.

No Sporting/Tavira, o chefe-de-fila Rinaldo Nocentini é a maior esperança para uma boa classificação individual na prova algarvia, que vai contar, no pelotão, com 25 corredores que terminaram 2015 no top-100 mundial. O corredor italiano disse aos jornalistas, na passada quinta-feira, que ainda não está a 100%, mas que espera já um bom resultado na prova: «já estou numa boa condição. É uma pequena equipa, mas estou muito bem e espero já na Volta ao Algarve dar uma satisfação ao Sporting/Tavira».

Sporting-Tavira 2Por seu lado, o diretor desportivo Vidal Fitas diz que a equipa tavirense vai com a «filosofia de quem vai para ganhar a prova», mas espera dificuldades, uma vez que esta é  a prova «mais difícil do ano de abordar, porque temos as dúvidas todas».

Já o Louletano/Hospital de Loulé apresentou esta terça-feira, ao fim da tarde, a sua equipa para a nova época e, apesar das dificuldades, o chefe de fila João Benta pode aspirar a lutar pelos primeiros lugares, de acordo com Jorge Piedade, o diretor desportivo.

«O Louletano é uma das seis formações portuguesas que vai participar na prova, mas temos de ser realistas, é o top mundial. Temos a esperança de aspirar a um resultado que seja bom, mas  não é assim tão fácil devido à concorrência, ao nível que aqui vai estar, e ao princípio de temporada. As equipas portuguesas estão a começar correr agora contra algumas que já têm 15 dias de corrida, mas temos o João Benta em bom momento de forma, que pode vir a ficar nos primeiros lugares», perspetiva.

A primeira etapa da prova, com 163,6 quilómetros vai ligar Lagos a Albufeira, com chegada prevista para as 14h50. Segundo a a Federação Portuguesa de Ciclismo, «os sprinters são os protagonistas mais prováveis do primeiro dia, sendo de esperar uma luta a alta velocidade entre homens como André Greipel (Lotto Soudal), Marcel Kittel (Etixx-QuickStep), Heinrich Haussler (IAM Cycling), Jasper Stuyven (Trek-Segafredo), José Joaquín Rojas (Movistar), Phil Bauhaus (Bora-Argon 18), Jonas van Genechten (IAM Cycling) ou Dylan Groenewegen (Lotto NL-Jumbo)».

A segunda jornada acolhe a etapa rainha da competição, 198,6 quilómetros, entre Lagoa (10h50) e o ponto mais alto do Algarve, a Fóia, no concelho de Monchique (16h00).

A chegada coincide com uma contagem de montanha de primeira categoria, depois de ultrapassadas outras três subidas pontuáveis para a classificação dos trepadores. Esta etapa deve dar a conhecer o momento de forma dos principais candidatos ao triunfo na Volta ao Algarve: Alberto Contador (Tinkoff), Fabio Aru (Astana), Joaquim Rodríguez e Tiago Machado (Katusha), Rigoberto Urán (Cannondale), Thibaut Pinot (FDJ), Ion Izagirre (Movistar), Geraint Thomas (Sky), Julián Arredondo e Fränk Schleck (Trek-Segafredo).

ciclismoO terceiro dia será de contrarrelógio individual, de 18 quilómetros, com partida e chegada em Sagres. A FPC prevê que «os primeiros 4,5 quilómetros, mais técnicos, não deverão impedir os grandes especialistas presentes de conseguirem desempenhos de elevado nível. O vento, muitas vezes presente neste ponto do Algarve, vai endurecer a corrida. Os favoritos aos primeiros lugares na etapa são corredores do calibre de Fabian Cancellara (Trek-Segafredo), Tony Martin (Etixx-QuickStep), Nelson Oliveira, Alex Dowsett e Jonathan Castroviejo (Movistar), Tiago Machado (Katusha), Geraint Thomas (Sky), Luis León Sánchez (Astana), Rigoberto Urán (Cannondale), Matthias Brändle (IAM Cycling) e Jan Bárta (Bora-Argon 18)».

Os sprinters voltam a ter uma oportunidade para testar a velocidade de ponta na quarta etapa, com 194 quilómetros que levam o pelotão de S. Brás de Alportel até Tavira.

A derradeira etapa, com início em Almodôvar e 169 quilómetros de estrada, termina no alto do Malhão, com uma curta mas inclinada subida de segunda categoria. A FPC considera que «quem almejar a camisola amarela Cyclin’Portugal vai ter de estar na dianteira nesta jornada».

 

Números da Volta ao Algarve

190 corredores, em representação de 24 equipas, 12 das quais de primeira divisão mundial

27 nacionalidades representadas no pelotão

4 ciclistas presentes são do top 10 internacional

25 corredores terminaram 2015 no top 100 do Mundo

9 elementos do pelotão são campeões nacionais em título

3 dos presentes já venceram a Volta ao Algarve: Alberto Contador (2009 e 2010), Geraint Thomas (2015) e Tony Martin (2011 e 2013)

105 jornalistas acreditados, oriundos de 12 países

 

Equipas

WorldTour: Astana, Cannondale, Etixx-QuickStep, FDJ, IAM Cycling, Katusha, Lotto Soudal, Lotto NL-Jumbo, Movistar, Team Sky, Tinkoff e Trek-Segafredo.

Continentais Profissionais: Bora-Argon 18, Caja Rural-Seguros RGA, Gazprom-RusVelo, Novo Nordisk, Roth e Verva ActiveJet.

Continentais: Efapel, LA Alumínios-Antarte, Louletano-Hospital de Loulé, Rádio Popular-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto

 

Percurso

1ª Etapa: Lagos – Albufeira, 177 km
2ª Etapa: Lagoa – Fóia, 198,6 km
3ª Etapa: Sagres – Sagres, 18 km (Contrarrelógio Individual)
4ª Etapa: S. Brás de Alportel – Tavira, 194 km
5ª Etapa: Almodôvar – Malhão, 169 km

 

Comentários

pub
pub

Em foco

pub
pub