pub
Imprimir

UAlg recebeu cinco distinções na Maker Faire Lisboa 2015

 

DSC_0718 (1)
A Universidade do Algarve, através de vários projetos realizados por ax-alunos, alunos e investigadores, recebeu cinco distinções “Maker of Merit” na segunda edição da Maker Faire Lisbon, que se realizou de 18 a 20 de setembro, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

Daniel Martins e João Silva, alunos de Engenharia Elétrica e Eletrónica, foram distinguidos pela matriz de LEDs interativa; Mário Saleiro, doutorando em Engenharia Informática, pelos projetos TheMaker3.2 (máquina de corte controlada por computador), HacKeyboard (teclado mecânico) e i3Saleiro (impressora 3D); Fernando Cánovas, investigador do Centro de Ciências do Mar (CCMAR) da UAlg, pela sua mini impressora 3D feita de materiais reciclados (2 distinções); e Maximilian Ritter, também do CCMAR, pelo projeto da câmara multiespectral.

Por sua vez, João Duarte, ex-aluno do curso de Engenharia Elétrica e Eletrónica, foi distinguido com o prémio de melhor projeto científico, com a apresentação de um Propulsor Iónico que, segundo a UAlg, «fez com que os visitantes pensassem que estavam a assistir a algum truque ou ilusão».

João Duarte e Mário Saleiro, ex-alunos do curso de Engenharia Elétrica e Eletrónica, já tinham sido distinguidos na edição anterior do evento.DSC_0754

Segundo a UAlg, «com esta participação, marcada pela grande quantidade de projetos, confirmou-se, mais uma vez, o potencial existente nas áreas das tecnologias existente na Universidade do Algarve, resultado da qualidade do ensino e da investigação da instituição».

Num certame que pretendeu mostrar invenções criativas, a UAlg faz-se representar com 26 projetos, num total de 100, desenvolvidos por ex-alunos, alunos e investigadores de áreas tão diversificadas como a Engenharia Elétrica e Eletrónica, Engenharia Informática, Educação e Comunicação, Ciências do Mar e Engenharia Eletrónica e Telecomunicações.

Impressoras 3D, uma câmara de amplo espectro, luvas munidas de giroscópios para leitura de gestos, máquinas de corte controladas por computador, tecnologia utilizada para propulsão de naves espaciais, uma cúpula geodésica, um sistema motorizado de seguimento de satélites de baixa órbita, foram alguns dos projetos que os makers da UAlg mostraram nesta iniciativa.

A Universidade do Algarve explica que, «ao contrário do que acontece em feiras dedicadas à tecnologia e criatividade, a Makers Faire Lisbon tem como principal objetivo ajudar os makers a divulgar os seus projetos, explicar como estes funcionam e, até, disponibilizar toda a informação para que o comum cidadão os possa replicar».DSC05855

Na opinião de Jorge Semião, docente do Instituto Superior de Engenharia (ISE) da UAlg, «esta foi uma excelente oportunidade de mostrar o potencial em tecnologias e engenharias existente dentro do seio da UAlg, tanto a nível quantitativo, como a nível qualitativo».

A maior parte dos vinte e seis projetos algarvios foi desenvolvida dentro do seio da UAlg, mais concretamente no eLab Hackerspace, um laboratório de prototipagem, fabricação digital e partilha de conhecimento, sediado no ISE, Campus da Penha.

Este laboratório, que surgiu em 2011 após a transformação do núcleo de estudantes de Engenharia Elétrica e Eletrónica, já arrecadou dois prémios nacionais e três internacionais, tendo sido um dos trinta e dois hackerspaces do mundo inteiro a ser premiado por uma das melhores impressoras 3D do mercado. Atualmente, é o hackerspace mais antigo dentro de uma instituição de ensino superior.

Já no ano passado vários investigadores da UAlg participaram na Mini Maker Faire, também em Lisboa, trazendo para o Algarve dois prémios: um para um transformador de alta tensão que produz raios elétricos visíveis e outro pelo número de projetos submetidos e pelo contributo na equipa de curadores do evento.

 

Comentários

pub
pub

Em foco

pub
Logo Lugar ao Sul
pub
pub