pub
Imprimir

Paulo Pinheiro quer bancadas do Autódromo cheias para receber Mundial de Superbikes

Paulo Pinheiro_1Paulo Pinheiro, CEO da Parkalgar SA, a empresa proprietária do Autódromo Internacional do Algarve, quer ver muito público nas bancadas do Mundial de Superbikes, que volta ao circuito de Portimão no próximo fim de semana, de 5 a 7 de Junho.

O Campeonato do Mundo de Superbikes é a terceira prova motorizada em pista mais vista em todo o mundo, logo a seguir à Fórmula 1 e ao Moto GP. Curiosamente, a transmissão televisiva internacional da corrida de Portimão foi, no ano passado, «a mais vista de todo o Campeonato do Mundo de Superbike», revela Paulo Pinheiro.

«Esta corrida funciona muito bem em termos de televisão e, no ano passado, tivemos qualquer coisa como 5 milhões de pessoas em todo o mundo a ver a corrida do Autódromo do Algarve», sublinha.

«No estrangeiro, este circuito é dos mais queridos, qualquer revista internacional fala muito bem de nós, as grandes marcas e as grandes provas preferem-nos», frisa o CEO do Autódromo.

Paulo Pinheiro: «No estrangeiro, este circuito é dos mais queridos, qualquer revista internacional fala muito bem de nós, as grandes marcas e as grandes provas preferem-nos»

«Mas no Algarve, em geral, e na zona de Portimão, em particular, é onde temos pior taxa de penetração. Parece que as pessoas, depois do entusiasmo inicial, têm agora uma má vontade em relação ao circuito e o público local não vem cá», lamenta Paulo Pinheiro.

Como homem há longos anos ligado aos desportos motorizados e às máquinas, que sempre foram a sua grande paixão, este engenheiro civil sabe que «o desporto motorizado, a nível internacional, tem agora cada vez menos público em circuito» e que «as corridas são cada vez mais um produto televisivo».

Mas isso não diminui a sua mágoa por aquilo que classifica como «alheamento enorme» do público algarvio e portimonense. «Não é o preço dos bilhetes que afasta as pessoas. Temos tido provas em que a entrada é gratuita e mesmo assim não vêm cá. Agora temos bilhetes a partir de 7 euros. Não pode ser essa a desculpa».

Autódromo do Algarve_1

Será que as pessoas associam o Autódromo à situação financeira catastrófica da Câmara de Portimão?

«Da Câmara, só recebemos 70 mil euros, nunca recebemos mais nada. Do Governo, foram só promessas. Mas, pela nossa parte, investimos aqui 200 milhões de euros, criámos e construímos infraestruturas que demos ao município, como estradas, uma conduta adutora, rede de fibra ótica. E criámos emprego, além de sermos fundamentais num Algarve onde, fora o Mundial de SBK, já não há grandes eventos».

Depois de ter visto aprovado, em 2012, o seu Processo Especial de Recuperação (PER), que lhe permitiu reestruturar a dívida, a Parkalgar está agora a funcionar sem problemas e tem planos para o futuro.

«As corridas são importantes, porque são aquilo que dá visibilidade ao circuito, mas são sobretudo ferramentas de marketing para atrair outros eventos», ao longo de todo o ano. E, a esse nível, as coisas estão a correr muito bem: «este ano temos 315 dias de ocupação da pista, sem contar com as corridas. De 12 de Janeiro e 19 de Maio, tivemos um único dia vazio».

Paulo Pinheiro: «este ano temos 315 dias de ocupação da pista, sem contar com as corridas. De 12 de Janeiro e 19 de Maio, tivemos um único dia vazio»

O Mundial de Superbikes (e as corridas anexas) comporta uma estrutura que envolve 5000 pessoas, nomeadamente 40 médicos, 400 comissários, pilotos, mecânicos, jornalistas, sem contar com o público que segue fielmente estas provas.

«Toda esta gente fica cá no Algarve uma semana, fica em hotéis desde Lagos a Faro, vai aos restaurantes, vai às lojas», sublinha Paulo Pinheiro.

«Apesar de, fora do concelho de Portimão, isso já acontecer há muito, aqui vejo finalmente alguns hotéis e restaurantes a perceber a importância do Autódromo. Mas continua a haver alheamento e, ainda por cima, uma má língua constante».

Testes do novo BMW M6 GT3

Testes do novo BMW M6 GT3

O CEO da Parkalgar faz questão de sublinhar que «o argumento para trazer cá certas corridas, como a das Superbikes, é a pista». E esse é o mesmo argumento que leva as grandes marcas internacionais a escolher o Autódromo Internacional do Algarve para fazer apresentações mundiais de novos modelos, ou para testes.

«A revista EVO, a mais importante a nível internacional no campo dos desportos motorizados, considera-nos a melhor pista da Europa e uma das melhores do mundo. Por isso, todas as grandes marcas do mundo conhecem Portimão. A Porsche, a Mercedes, a McLaren, todas passam por aqui. Há algum tempo esteve cá um jornal norte-americano, o New York Times, para o lançamento de um novo modelo automóvel, e acabou por escrever um artigo pequeno sobre o carro e outro maior sobre o autódromo e toda esta zona do Algarve».

Só no primeiro trimestre de 2015, «o Autódromo contou com a presença de quatro grandes eventos, que trouxeram ao circuito e,consequentemente, ao Algarve cerca de 10 mil pessoas. Entre equipas, técnicos e clientes, convidados pelas grandes marcas do automobilismo, destacam-se os fotógrafos e jornalistas, que divulgam o circuito, o Algarve e Portugal em todo o mundo».

Apresentação mundial da nova mota Ducati 1299 Panigale

Apresentação mundial da nova mota Ducati 1299 Panigale

E que eventos foram esses? Janeiro acolheu os testes privados de equipas do Mundial de SBK (Ducati, Agusta, BMW, Motorrad Italia, Red Devils, Puccetti WSS, Sofuoglu & Faccari, Suzuki WSBK, EBR e Althea).

Nesse mesmo mês houve ainda a apresentação mundial da nova mota Ducati 1299 Panigale e testes da HTP Motorsports.

Em Fevereiro, no Track Day Speed Week, a Black Falcon trouxe 80 viaturas ao circuito portimonense. Houve ainda testes do Toyota TS040 Hybrid LMP1, da equipa Toyota Motorsport Le Mans.

Em Fevereiro e Março, o Autódromo acolheu a apresentação mundial do novo Mercedes C63 AMG Bi-Turbo.

Em Março, houve ainda os testes do campeonato DTM, com as equipas da Audi, Mercedes-Benz e BMW, bem como os testes do novo BMW M6 GT3, e da FF Corse e Team BMW Brasil.

Esse mês recebeu ainda a apresentação mundial do Porsche Cayman GT4.

E o Sul Informação pode anunciar, em primeira mão, que em Julho, de 8 a 25, o Autódromo do Algarve vai ter mais uma apresentação mundial, a do novo Audi R8. Estarão presentes 350 jornalistas de todos os cantos do mundo, fora o staff e outros convidados.

algarve_sbk

Quanto às corridas, depois do FIM CEV Repsol (Abril), do TCR International Series (Maio) e do FIM Superbike World Championship (5 a 7 de Junho), haverá ainda a ronda algarvia da Blancpain GT Series (4 a 6 de Setembro), que inclui o Racing Weekend e o Campeonato Europeu de F3 FIA.

A Fórmula 3, recorda Paulo Pinheiro, é «um trampolim para a Fórmula 1», por isso alguns dos pilotos que vão estar no Algarve poderão em breve ser as estrelas da modalidade de topo do automobilismo mundial. Quanto à GT Series, o CEO da Parkalgar recorda que se trata de corridas entre «gentlemen drivers».

De 23 a 25 de Outubro, volta o Algarve Classic Festival, enquanto as Grandes Finais do Rotax Max Challenge estarão no circuito algarvio de 8 a 14 de Novembro, trazendo «mais 400 pilotos, equipas, famílias, convidados, durante uma semana». A última grande corrida será o Maxi Endurance 32h (20 a 22 de Novembro).

Paulo Pinheiro: «O retorno de tudo isto fica no Algarve. São milhares de pessoas que vêm cá à região apenas por causa do circuito e que vêm fora do Verão»

Além de toda esta intensa programação, no dia 15 de Junho, o Autódromo recebe um «curso de condução de Fórmula 1».

«O retorno de tudo isto fica no Algarve, fica na hotelaria, nos restaurantes. São milhares e milhares de pessoas que vêm cá à região apenas por causa do circuito e que vêm fora do Verão, já que a nossa época alta é todo o resto do ano», faz questão de frisar Paulo Pinheiro.

No entanto, acusa o CEO da Parkalgar, «no Inverno até podíamos atrair mais eventos, mas perdêmo-los por causa do Aeroporto e da falta de voos».

Além disso, salienta, «no Inverno, à noite não há nada para fazer. Também se perde eventos por causa disso». Daí que o responsável pelo Autódromo defenda que hoteleiros, donos de restaurantes, bares e discotecas, se deviam organizar melhor entre si, de modo a que houvesse «sempre animação a funcionar no Algarve, mesmo no Inverno».

«Em qualquer altura do ano, estes empresários são beneficiados com toda esta gente que vem ao Algarve exclusivamente por causa do excelente circuito que aqui temos. Muitos deles já se estão a aperceber disso. Basta falar com os hotéis de 5 estrelas, de luxo, para ver o que eles dizem».

Se o setor que vive ligado ao turismo já se está a aperceber da importância do Autódromo Internacional do Algarve, falta agora ganhar o público local e regional.

Para dar uma ajudinha a garantir esta empatia, durante a corrente semana e até sexta-feira, dia 5, quando o circo das Superbikes assenta totalmente arraiais no Algarve, haverá várias atividades em Portimão e também noutras zona da região, que envolverão uma interação mais direta com os pilotos e as suas máquinas.

Comentários

pub
pub

Em foco

Sem conteúdo para mostrar

pub
Logo Lugar ao Sul
pub
pub