pub
Imprimir

Ainda há muita obra a fazer para concluir a Variante Norte a Faro

Obras Recomeçaram na Variante Norte de Faro_7Três pontes, seis passagens superiores e uma inferior, uma ligação à EN 125 e o restabelecimento de três vias municipais e várias estradas de serviço. Estes são os trabalhos que, além dos 2,5 quilómetros de estrada, terão de ser concluídos nos próximos meses na obra da Variante de Faro, que recomeçou ontem, após uma paragem de 903 dias.

A empresa Estradas de Portugal anunciou ontem terça-feira, numa nota de imprensa, que recebeu a informação oficial por parte do concessionário Rotas do Algarve Litoral que as obras para a conclusão da Variante de Faro tinham recomeçado, «conforme compromisso assumido à data da assinatura do acordo».

«Os trabalhos que agora são retomados não causam transtorno para o turismo no Algarve, apesar do acréscimo registado este ano e visam a conclusão da Variante à EN125 na cidade de Faro, cuja execução se encontra parada desde 2011», acrescentou a empresa.

A Variante Norte a Faro é uma das três obras “sobreviventes” à renegociação da concessão para requalificação da EN 125, «que permitiu uma redução de custos ao contribuinte no montante estimado de 507 milhões de euros».

Uma poupança assinalada, ontem, pelo deputado à Assembleia da República e presidente do PSD/Faro Cristóvão Norte, que acompanhou o presidente da Câmara de Faro à Variante Norte, para ver in loco as máquinas a laborar, novamente.

«As circunstâncias alteraram-se com as dificuldades do consórcio anterior e esta solução, sem um custo tão desmesurado e redimensionada da melhor forma, permite garantir a recuperação e dinamização de um dos principais eixos de mobilidade da região», disse.

Estradas de Portugal: Em 2013, registou-se “o valor mais baixo no último quinquênio em termos de sinistralidade rodoviária na EN125”

Além da de Faro, serão concluídas pela concessionária – agora liderada pelo grupo Elevo, que surgiu da união entre as empresas Edifer, Hagen, Monteadriano e Eusébios (todas elas salvas da falência pelo fundo de gestão de ativos Vallis, em 2012) – as variantes de São Lourenço/Troto, em Almancil e a Lagos, cujo início se prevê para setembro. Dentro da concessão, mantém-se ainda as intervenções de melhoria da via, de Vila do Bispo até Olhão.

O troço da EN125 entre Olhão e Vila Real de Santo António foi, entretanto, desafetado da concessão e os trabalhos que estavam previstos assumidos pela própria Estradas de Portugal. A empresa diz que tem 14 milhões destinados a obras, que irão decorrer em simultâneo com as da Rotas do Algarve Litoral, mas o edil louletano já veio a público acusar o Governo de estar a «enganar os algarvios».

Aproveitando o anúncio do recomeço das obras na Variante de Faro para salientar que, em 2013, se registou «o valor mais baixo no último quinquênio em termos de sinistralidade rodoviária na EN125».

«Esta melhoria deve-se sobretudo ao comportamento mais cuidado dos condutores e à maior eficácia na fiscalização e controlo realizado pelas forças policiais», defendeu a empresa.

Comentários

pub
pub

Em foco

pub
Logo Lugar ao Sul
pub
pub