<
Diretora: Elisabete Rodrigues   •   24-04-2014   •   Semana 113

Cultura

Património islâmico de Silves mostra-se no Castelo de S. Jorge

 

Peças do acervo islâmico do Museu Municipal de Arqueologia de Silves integram a exposição “Arquiteturas”, patente até 6 de janeiro no Castelo de São Jorge, em Lisboa.

Nesta mostra, que pretende dar a conhecer testemunhos arquitetónicos muçulmanos no atual território português, incluem-se cerca de duas dezenas de peças e três maquetas provenientes de Silves e que foram disponibilizadas pelo Museu Municipal de Arqueologia.

A exposição surge no âmbito da entrega do Prémio Aga Khan de Arquitetura, sendo promovida pela Fundação Calouste Gulbenkian, o Aga Khan Trust for Culture e a Câmara Municipal de Lisboa e dá a conhecer o legado islâmico encontrado em Portugal que, apesar de pouco conhecido internacionalmente, tem, nas últimas décadas, revelado estruturas e espólios de períodos com grande florescimento cultural, entre os séculos VIII e XIII.

O comissariado científico de exposição “Arquiteturas” é de Rosa Varela Gomes, do Instituto de Arqueologia e Paleociências da Universidade Nova de Lisboa, arqueóloga que, em conjunto com o seu marido Mário Varela Gomes, durante anos se dedicou a investigar os vestígios islâmicos no concelho de Silves e um pouco por todo o Algarve.

O casal Varela Gomes foi também responsável pela identificação e escavação arqueológica, no litoral do concelho de Aljezur, do Ribāt da Arrifana, testemunho ímpar em Portugal e raro na Europa.

A exposição no Castelo de S. Jorge inclui vestígios como a pia de abluções de Cacela, uma placa ornamental da Quinta dos Passarinhos, em Chelas (Lisboa), e outras peças como uma placa apotropaica, um bocal de cisterna, um fragmento de gelosia, um conjunto de estuques pintados, três capitéis e um fragmento de arcaria, todas provenientes de Silves, a última cidade muçulmana do extremo do Garb Al-Andalus.

Fazem, também, parte desta exposição as maquetas dos principais monumentos islâmicos existentes em Portugal como o palácio islâmico da alcáçova, o Poço-Cisterna Almóada e o Castelo de Silves, a Mesquita de Mértola e o Ribāt da Arrifana, em Aljezur.

Todos os vestígios identificados, e que estão em exposição, integram a rede de sítios e núcleos museológicos, encontrando-se entre os mais significativos o de Silves, que possui ruínas musealizadas na alcáçova e o Museu Municipal de Arqueologia (espaço que inclui não só espólios, mas um setor da muralha da antiga Medina e torre albarrã anexa, assim como o monumental poço-cisterna, atribuído aos finais do século XII ou aos inícios da centúria seguinte, hoje classificado como Monumento Nacional), assim como o do Castelo de São Jorge, em Lisboa, o de Mértola e o da Arrifana (Aljezur).

  

Discussão

Ainda sem comentários.

Comentar

Protected by WP Anti Spam
 

PUB

Fotogaleria em destaque

Facebook

Subscrever newsletter